logo jornal amazonia

Paraense e namorado presos no Líbano estavam com cocaína no estômago, diz jornal

O casal confessou ter ingerido drogas, mas não informou quem teria fornecido os entorpecentes

O Liberal
fonte

Natural de Belém do Pará, Juliana Nunes do Nascimento, de 31 anos, e o namorado dela, Igor Antônio dos Santos Cabral, de 26 anos, foram detidos no Aeroporto Internacional de Beirute Rafic Hariri, no Líbano, no momento em que tentavam entrar no país com aproximadamente 1 kg de cocaína no estômago. A informação foi publicada nesta quarta-feira (4) pelo Jornal do Líbano.

image Casal paraense (Arquivo pessoal)

Segundo o noticiário, o casal confessou ter ingerido drogas, mas não informou quem teria fornecido os entorpecentes. Ainda de acordo com a publicação, o casal chegou em um voo da Qatar Airways, que saiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), com escala em Doha. O casal está à disposição da justiça libanesa e não há previsão para serem trazidos ao Brasil.

VEJA MAIS

image Belenense e namorado dados como desaparecidos estão presos no Líbano, revela polícia
Não há informações sobre o motivo da prisão, que ocorreu em 19 de dezembro passado

image Passageiro é preso com 20kg de maconha dentro de mala no Aeroporto Internacional de Belém
Suspeito de tráfico interestadual chegou em um voo que vinha de Manaus, no Amazonas

image Militar paraense é afastado do cargo de tenente quatro meses após prisão em Portugal
Ele é um dos investigados pela participação em esquema de tráfico internacional de drogas

Segundo familiares, por meio de uma ligação, eles foram informados pelo corpo diplomático brasileiro em Beirute, que o casal foi preso sob investigação de tráfico internacional de drogas.

Juliana e Igor permanecem detidos em Beirute desde 19 de dezembro de 2022. Segundo informações das autoridades libanesas, cada um transportava aproximadamente meio quilo de droga no estômago e, em razão do grande risco de morte, os suspeitos foram conduzidos para que pudessem expelir o entorpecente com segurança.

Casal se conheceu em boate no Rio Grande do Sul

Cabral é da cidade brasileira de Carazinho (RS). Os familiares afirmaram que eles se conheceram enquanto o músico tocava em uma boate da cidade, onde Juliana trabalhava. Ela é natural de Belém (PA).

O casal estava junto há pouco mais de um ano. Apesar de ela ter abandonado o trabalho na boate, segundo familiares de Igor, o relacionamento entre os dois não era aceito pelos familiares do músico, diz o jornal libanês.

Poucos dias antes da viagem, Juliana teria ligado para a sogra, dizendo que o casal faria uma viagem a São Paulo, com objetivo de assinar documentos de um possível dinheiro que ela tinha para receber. De acordo com o jornal libanês, Juliana ainda teria pedido para a sogra ficar na casa do casal para cuidar de um cachorro.

Questionada pela sogra sobre como as despesas da viagem seriam custeadas, Juliana teria afirmado que um suposto advogado teria fornecido as passagens de ônibus e, então, no último dia 13 de dezembro, os dois suspeitos deixaram Carazinho.

image Operação prende dois passageiros com cerca de 20 quilos de skunk no Aeroporto Internacional de Belém
A carga de drogas foi localizada depois da inspeção de bagagem

image Quem são os paraenses presos em Portugal por tráfico internacional de drogas
O quarto paraense envolvido no esquema foi detido no último sábado (8) no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, usando documentação falsa

image Paraenses presos em Portugal: polícia realiza 4ª prisão em operação que investiga tráfico de drogas
Foragido é natural de Barcarena (PA) e foi preso no Rio de Janeiro (RJ). Ele desembarcou de um voo vindo da Espanha

Paraense fez compras no nome do namorado antes de viajar

Familiares também afirmaram, que antes da viagem, Juliana fez inúmeras dívidas no comércio local em nome de Igor. Ela teria comprado roupas, sapatos, entre outros objetos. Nada foi pago, segundo o Jornal do Líbano.

A polícia identificou que o último acesso que Igor teve ao telefone foi em Guarulhos, no dia do embarque para o Líbano. Juliana teria acessado o telefone em Doha, por meio da internet gratuita disponibilizada no aeroporto.

Familiares do músico acreditam que Juliana seria a mentora de tudo. “Meu filho nunca viajou. Nós nem sabíamos que ele tinha passaporte. Nas horas vagas ele era músico, mas no Brasil, o meu filho tinha carteira registrada. Somos humildes. Vivemos numa cidade pequena. Não viajamos. Não temos nenhuma relação com o Líbano. Eu nem sei em que lugar fica o país. A Juliana enganou o meu filho e destruiu a nossa família”, diz a mãe de Igor na reportagem publicada pelo noticiário libanês.

image Mulher que foi feita refém na Marambaia responde por tráfico internacional de drogas
Alessandra Martins dos Santos tem três passagens pela polícia. O companheiro dela pode estar envolvido em atentados contra policiais na Grande Belém

image Operação contra tráfico internacional de drogas é deflagrada no Pará e outros 6 estados pela PF
Operação Maritimum: Durante o inquérito policial, foram realizadas apreensões de drogas no porto de Barcarena. Também houve interceptação de cargas em países europeus

image Dia de combate ao tráfico e abuso de drogas: saiba onde buscar ajuda para dependência química
Locais oferecem atendimento gratuito. Confira endereços e contatos

Desaparecimento assustou familiares

Em desespero pela falta de notícias de Igor, familiares teriam gravado vídeos pedindo ajuda nas redes sociais, acreditando que o casal estava desaparecido. O caso comoveu a pequena cidade de Carazinho, no Rio Grande do Sul. A notícia da prisão pegou todos de surpresa.

Um vizinho, que preferiu não se identificar, alega que Igor era muito honesto e trabalhador: “Eu estou surpreso. Eu vi o menino crescer. Muito trabalhador. Nunca mexeu nas coisas dos outros e nem vício ele tem. Uma barbaridade a cilada que ele caiu por causa de mulher”, disse o vizinho.

O que dizem as autoridades brasileiras no Líbano?

A Embaixada do Brasil em Beirute está acompanhando o caso, por meio do Consulado Geral. O casal ainda não conseguiu fazer contato telefônico com os familiares no Brasil.

O Ministérios das Relações Exteriores afirma que está buscando prestar a assistência consular cabível, de acordo com o que determinam as leis locais.

Segundo representantes do Consulado, neste momento, no Líbano, faltam cartões telefônicos para que possam ser disponibilizados para os brasileiros detidos. Igor se mostra muito emocionado quando fala dos pais, que estão em Carazinho.

Por que o Brasil poderá não extraditar o casal?

Dificilmente os brasileiros serão extraditados para o país de origem. O Líbano não tem tratado de extradição com o Brasil.

Os dois países assinaram um acordo de extradição em 2002, no governo Fernando Henrique Cardoso. O texto foi ratificado no Brasil, mas segundo o governo brasileiro, o Líbano ainda não o aprovou. A legislação penal libanesa impede que seja concedida a extradição a não ser para países que tenham o tratado, o que não é o caso do Brasil.

image Pesquisa revela a influência de organizações criminosas ligadas ao tráfico em Belém e Ananindeua
Estudo aponta a ação de facções em 16 bairros dos dois municípios, com mais indícios de presença do Comando Vermelho

image Brasileira de 21 anos presa na Tailândia não terá pena de morte, diz advogado
Mary Hellen Coelho da Silva entrou no país levanddo cerca de 15,5 kgs de cocaína

image Irmã de brasileira presa por tráfico na Tailândia diz como Mary Hellen conheceu homem ‘gente fina’
Brasileira que mandou áudio desesperado havia pedido as contas no emprego antes de viajar

Como o casal passou pela segurança do aeroporto?

A apreensão no Líbano levanta questionamento sobre como o casal conseguiu deixar o Brasil com essa quantidade de droga. Eles passaram pelo maior aeroporto do país e não foram identificados pelo controle de saída.

Há a hipótese, entretando, de que o casal tenha recebido as substâncias ilícitas, engolido e embarcado de alguma forma na escala no Catar.

As autoridades libanesas acreditam que quem enviou a substância conhecia o controle de segurança do aeroporto de Beirute. Ambos confessaram que tinham ingerido drogas, mas até o momento, não informaram quem enviou e nem o destino que o entorpecente teria no Líbano.

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA