Campanha de vacinação contra a raiva pretende atingir mais de 38 mil animais em Marabá

Apesar da busca ativa ter sido intensificada durante campanha de vacinação realizada entre os meses de setembro e novembro, o atendimento do Centro de Controle de Zoonoses é contínuo

Tay Marquioro
fonte

Em 2022, Marabá superou a meta apontada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) de vacinar, no mínimo, 34 mil animais no ano. As campanhas e ações contínuas de combate à raiva, por exemplo, desenvolvidas pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão ligado à Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, atingiram um público de 38.958 cães e gatos.

VEJA MAIS

image Centro de Zoonoses de Santarém abriga animais à espera de adoção
Nas instalações do CCZ estão cães e gatos recolhidos das ruas ou abandonados pelos antigos tutores, aguardando pela oportunidade de ganhar uma vida mais digna

image ONG viraliza ao fazer campanha de adoção ‘convocando’ pets com nomes de astros da seleção brasileira
Associação Lunar quis estimular a adoção responsável dos bichinhos que estão em busca de um lar

image Polícia Civil amplia atendimento para casos de maus tratos de animais
De acordo com a polícia, já foi possível encaminhar 180 animais para atendimento médico e, com apoio de outras instituições, conseguiu castrar 130 animais e encaminhar mais 12 para adoção responsável

Para o médico veterinário Flávio Ferreira da Silva, que coordena o CCZ, esse é um resultado positivo se comparado ao desempenho do trabalho realizado no ano de 2021. Segundo ele, naquele ano, as ações voltadas às zoonoses foram bastante prejudicadas em função da pandemia de covid-19.

“O ano de 2022 foi bem produtivo aqui no CCZ. O ano de 2021 foi mais lento devido à pandemia, mas este ano realizamos tudo que estava na programação com ação em todos os bairros de Marabá. Concluímos as ações na Nova Marabá e também concluímos em Morada Nova, São Félix, Nossa Senhora Aparecida e Cidade Jardim e todos os núcleos foram assistidos com coleta de sangue e ações contra a leishmaniose, fizemos esse trabalho com eficiência e foi bem produtivo”, destacou.

As ações aconteceram em todos os núcleos da cidade e também nas comunidades da zona rural do município, com apoio de agentes do departamento de Vigilância Ambiental e Endemias, do Serviço de Saneamento Ambiental, além de militares do Exército Brasileiro. Apesar da busca ativa ter sido intensificada durante campanha de vacinação realizada entre os meses de setembro e novembro, o atendimento do Centro de Controle de Zoonoses é contínuo. “Temos vacinas suficientes para atender a população e funcionamos das 7 da manhã às 18 horas”, disse o coordenador, explicando que desde 2012 não há casos confirmados de raiva animal no município.

Já os procedimentos de castração de cães e gatos também tiveram acréscimo em 2022. O número de animais atendidos chegou a 1800, o que significa 600 cirurgias a mais do que foi realizado no anterior. Já para 2023, o órgão projeta alcançar 2500 animais.

Em Jacundá, a luta é contra o abandono

Neste mês de dezembro, a Prefeitura de Jacundá, município localizado a 115 quilômetros de Marabá, deu início a uma campanha de incentivo à adoção responsável e combate ao abandono de animais. Para isto, a Secretaria de Saúde local aposta na informação. “Queremos conscientizar a população de que a superpopulação de animais nas ruas da cidade é uma questão de saúde pública”, explicou a secretária Irailde Bizarrias. “Nas nossas ações junto à população, estamos orientando, dando dicas sobre cuidados básicos como vacinação e castração, além de falar das necessidades de cães e gatos, como forma de incentivar o cuidado com esses animais”.

Os prejuízos do abandono indiscriminado de animais são inúmeros. A transmissão de doenças como a raiva e a leishmaniose, além de proliferação de parasitas como vermes, pulgas e carrapatos são apenas algumas dessas consequências que o município quer evitar.

“É um cenário que pode ser controlado facilmente, mas que precisa do engajamento da população. Tendo os cuidados certos, é possível ter um pet saudável em casa. Os inimigos são o abandono e os maus tratos. Animal não é brinquedo”, conclui a secretária.

Pará
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ