logo jornal amazonia

Operador de máquina é mutilado após sofrer acidente em empresa de reciclagem na Grande Belém

A vítima morreu enquanto tentava trocar as lâminas de um aglutinador para plástico

O Liberal
fonte

Um operador de máquina, identificado como Ridley Raiff Souza, de aproximadamente 27 anos, morreu após ser mutilado em um aglutinador para plástico, de uma empresa de reciclagem localizada na rua Aracanga, no bairro Uriboca, em Marituba, na Região Metropolitana de Belém (RMB). O acidente ocorreu por volta das 14h30 desta segunda-feira (7). 

Depois do acidente, familiares da vítima foram informados sobre o que havia acontecido com o funcionário. O Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Polícia Científica do Pará foram acionados pela empresa. Apenas o tio de Ridley teve acesso à firma. Do lado de fora, o primo do trabalhador, Richardson Souza, aguardava pelo pai na frente da companhia. Ele deu detalhes sobre o incidente.

VEJA MAIS 

image Corpo de jovem desaparecida é encontrado mutilado
Ela foi raptada pelo ex-namorado enquanto estava em um churrasco e não foi vista desde então

image Mulher é espancada e tem corpo mutilado enquanto ainda agonizava
A vítima teve os lábios arrancados com uma peixeira e ainda foi empalada com um cabo de vassoura

image Onda de maus-tratos e matança de animais preocupa moradores de Marituba
Segundo relatos, um gato mutilado é o caso mais recente que chocou a população. Prefeitura afirma que não recebeu denúncias

“Pelo que me disseram foi erro da máquina. Ele já tinha desligado a máquina, só que tinha que desligar em baixo, mas a máquina já tava parada, do nada ela começou a rodar sem ninguém ter mechido. O pé dele estava embaixo, a lâmina começou a rodar e triturar o pé dele, não teve como segurar”, comentou Richardson Souza. A vítima deixou a esposa e a filha pequena.    

Segundo Richardson, outros funcionários da empresa escutaram os gritos da vítima, porém, quando chegaram ao local, já era tarde demais para tentar socorrê-lo. Várias partes do seu corpo já haviam sido amputadas. Um amigo de Ridley, que diz ter passado pela empresa, lamentou a morte do colega. 

Ele disse ainda que as condições de trabalho no local são inadequadas. “Eles só dão uma bota e um protetor auricular para os funcionários", afirmou. A Redação Integrada de O Liberal tentou entrar em contato com a empresa, mas não foi atendida no local e por meio de chamada telefônica. A reportagem também solicitou mais detalhes sobre o caso à Polícia Civil e ao Corpo de Bombeiros e aguarda o retorno. 

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA