Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Caso Yasmin: Manifestação pede justiça para a morte da jovem no domingo, 20

A concentração do ato ocorre às 8h30, na Escadinha do Cais do Porto, na Estação das Docas

Ana Laura Carvalho

O movimento #JustiçaPorYas realiza neste domingo, 20, um ato pedindo justiça para a morte da influenciadora digital e estudante de medicina veterinária Yasmin Fontes Cavaleiro de Macêdo. A manifestação também é um pedido de familiares e amigos, para que as testemunhas e suspeitos investigados falem a verdade sobre o que aconteceu no dia 12 de dezembro do ano passado, durante o passeio de lancha que terminou com a morte da jovem pelos furos do rio Maguari, em Belém.

VEJA MAIS

Caso Yasmin: equipes fazem visita técnica ao local onde deve ocorrer a reconstituição do caso
A reprodução simulada dos fatos ainda não tem data exata para ocorrer

Caso Yasmin: Defesa de dono da lancha pede punição contra advogado da família da jovem
o advogado da família de Yasmin, Luiz Araújo, teria feito uma declaração que vai de encontro ao Código de Ética da OAB

Caso Yasmin: médico diz que influencer morta estava na proa da lancha a maior parte do passeio
Como testemunha, Euler Magalhães prestou à capitania dos Portos três horas de depoimento nesta sexta (4). Marinha investiga queda da lancha após morte da influencer

A concentração do ato ocorre às 8h30, na Escadinha do Cais do Porto, na Estação das Docas.

“Nós não estamos atrás de culpados. Só queremos saber o que foi que aconteceu, porque as informações continuam desencontradas. Acidente e fatalidade não foram. Se fosse, já teriam arquivado o caso”, afirmou a professora Eliene Fontes, mãe de Yasmin.

Ela detalhou que a manifestação seguirá pela avenida Presidente Vargas, até a praça da República, onde haverá uma encenação do que, possivelmente, aconteceu no dia do passeio que terminou com a morte da influenciadora. Atores de uma escola de teatro de Belém, frequentada por Yasmin, irão interpretar o papel dos suspeitos e testemunhas do caso.

Yasmin morreu em dezembro, durante um passeio de lancha

O processo que investiga a morte de Yasmin já concentra, segundo a mãe da jovem, mais de 400 páginas. O trabalho da Polícia Civil conta com 6 delegados, 28 investigadores e 12 peritos. Yasmin Cavaleiro de Macêdo desapareceu na noite do dia 12 de dezembro do ano passado, durante um passeio de lancha pelas águas do rio Maguari, em Belém, onde estavam outras 18 pessoas a bordo.

A jovem teria sumido por volta de 22h30, em circunstâncias que ainda não foram alinhadas em virtude da divergência de informações prestadas pelas testemunhas convocadas a depor. A mãe da influenciadora, Eliene Fontes, declarou que há, pelo menos, três versões para o que teria acontecido naquela noite, segundo pessoas que estavam na lancha.

O corpo da estudante foi encontrado às 12h40 de segunda-feira, 13 de dezembro, no distrito de Icoaraci, próximo a uma marina particular, a aproximadamente 11 metros de profundidade. A mãe da influenciadora declarou ter havido relatos de que Yasmin teria caído. Outro depoimento mencionou que a vítima teria usado a escada da embarcação para urinar e acabou sumindo. Uma terceira versão dá conta de que ela teria mergulhado no rio e desaparecido.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA