Caminhada em Ananindeua pede fim da violência contra a mulher

Ato que lembrará o feminicídio da cabeleireira Samara Mescouto está marcado para o próximo sábado (18)

Redação Integrada

Esteticistas, manicures, cabeleireiras, vendedoras autônomas, jovens que trabalham nas redes sociais, mulheres de todas as idades que se comoveram e se solidarizaram com o caso da jovem Samara Mescouto, que foi roubada, estuprada e assassinada no último final de semana, em Marituba, na região metropolitana de Belém, agendaram um ato em Ananindeua que pedirá ações para deter a violência contra mulheres no Pará. A "Caminhada pela paz e a favor da vida" percorrerá ruas da Cidade Nova até a praça da Bíblia, no próximo sábado (18).

LEIA TAMBÉM:
- São pelo menos sete as vítimas dos maníacos de Marituba
- Assassinato de jovem esteticista comove e revolta população paraense
- Justiça de Marituba decreta prisão de suspeito de envolvimento em estupros de mulheres
- Acusados de estuprar e assassinar jovem esteticista são capturados em Marituba
- Falta de punição para adolescentes é mito, diz advogado

"Convidamos todas as esteticistas, profissionais da beleza, estudantes, mulheres para participar da caminha pela paz, a favor da vida, unindo nossa voz pedindo basta de violência contra a mulher!", escreveu Rita Souza, uma das organizadoras da caminhada. "Vamos dedicar um momento deste dia para nos solidarizar com as vítimas do maníaco de Marituba e seus familiares". 

A concentração será às 8h da manhã, em frente a um centro de formação profissional, na travessa SN 17, número 181, na Cidade Nova. No encerramento, após a caminhada até a Praça da Bíblia, as participantes farão orações, cantarão louvores e farão um apitaço, além de soltarem balões brancos e distribuirem laços brancos. A organização pede às participantes que vistam-se de  branco.

"Não a conhecia, mas Samara era mulher, mãe, empreendedora, profissional da estética, que levava o serviço até às clientes, história de vida que tenho certeza que é a realidade hoje de muitas mulheres guerreiras que se reinventam diariamente e se desdobram para ter o dinheirinho para somar. Me vejo nesta história", diz Michelle Pinheiro

"Não a conhecia, mas Samara era mulher, mãe, empreendedora,  profissional da estética, que levava o serviço até às clientes, história de vida que tenho certeza que é a realidade hoje de muitas mulheres guerreiras que se reinventam diariamente e se desdobram para ter o dinheirinho para somar. Me vejo nesta história", diz uma das participantes, Michelle Pinheiro.

"Sororidade e solidariedade para com os amigos e familiares, que foram privados para todos o sempre da presença de Samara. Que justiça seja feita e casos como esse, tão brutais, não fiquem sem a devida punição, diante de tudo o que ocorreu com a Samara. Muitas de nós, no intuito de trabalhar, empreender, para ter um pouco de dinheiro para somar nas necessidades do lar e dos filhos, temos a vida completamente violada. Tiraram o direito de ver seus filhos crescerem, de crescer. Samara era uma menina ainda", diz Michelle.  

"Caminhada pela paz e a favor da vida"
Local: saída da SN 17, número 181, na Cidade Nova, em direção à Praça da Bíblia, em Ananindeua;
Horário: 8h

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA