Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Naufrágio na ilha de Cotijuba: sobe para 18 o número de mortes, confirma Segup

Até o momento, 65 sobreviventes foram resgatados e conduzidos a Belém

O Liberal

Subiu para 18 o número de mortes confirmadas no naufrágio de uma embarcação que saiu da ilha do Marajó em direção a Belém, na manhã de quinta-feira (08). Destes, 10 mulheres, 5 homens e 3 crianças. Sete corpos foram deslocados para sepultamento no Marajó e outros quatro para a capital; os demais estão no IML para realização de exames necroscópicos. Até o momento, 65 sobreviventes foram resgatados e conduzidos a Belém.

VEJA MAIS

Naufrágio ilha de Cotijuba: dois sobreviventes foram resgatados, entre eles, uma criança de 4 anos
Segundo a Segup, as vítimas foram retiradas por ribeirinhos e pescadores

Naufrágio na Ilha de Cotijuba: pescador relata resgate de vítimas e fuga de suspeito
O primeiro homem que resgatou disse que estava tendo um infarto, mas saiu correndo e ele possivelmente seria o responsável pela embarcação

Naufrágio ilha de Cotijuba: polícia faz busca por condutor da lancha; proprietária deve ser ouvida
Condutor da embarcação foi identificado como Marcos de Souza Oliveira

“Nós seguimos com as buscas aos desaparecidos e estamos focados na estratégia de movimentar a embarcação, até porque ela não se encontra encostada no fundo do rio. Isso coloca em risco a operação de mergulho porque é uma questão muito técnica que depende de algumas características do local. Nessa movimentação provavelmente outros corpos poderão ser encontrados, portanto as buscas continuam até as 18h, podendo ser retomadas pela manhã. Só iremos parar realmente quando todas as pessoas que estão desaparecidas forem encontradas e entregues a seus familiares", explicou o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar, Cel. BM Hayman Souza. 

A corporação está atuando com 12 mergulhadores no local , 6 embarcações, além do apoio da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. As ações integradas e emergenciais para garantir apoio aos sobreviventes e familiares das vítimas do naufrágio seguem em andamento nas proximidades da Ilha de Cotijuba.

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, reforça que todas as medidas adotadas a partir do gabinete de crise seguem sendo intensificadas para que as vítimas sejam localizadas e as famílias recebam a assistência necessária. “Ainda nas primeiras horas da manhã de hoje retomamos as buscas no local do acidente e em áreas próximas, conseguindo localizar outros corpos, totalizando 18 pessoas até o momento, infelizmente. Mas ainda durante a manhã, também confirmamos mais duas pessoas resgatadas com vida no município de Ponta de Pedras, que foram encontradas por ribeirinhos que passaram por ali no momento do acidente", esclarece.

Ainda segundo o titular da Segup, o Governo do Estado não medirá esforços para manter as buscas pelos desaparecidos e encontrar os responsáveis por essa tragédia. "Estamos trabalhando para localizar o responsável pela embarcação, que já foi identificado. Tanto o homem responsável pela embarcação, como a genitora que emprestou a lancha, deverão ser ouvidos para que nós possamos esclarecer o caso e encaminhar o resultado ao Judiciário. Reiteramos que a causa do acidente é analisada pela Marinha do Brasil, que já instaurou um procedimento próprio, o que, inclusive, vai subsidiar o nosso inquérito policial”, afirmou.

Naufrágio na Ilha de Cotijuba: familiares de vítimas pedem ajuda para custeio dos velórios
Na manhã desta quinta-feira (8), foram liberados pela Polícia Científica do Pará 13 corpos, sendo sete deslocados para o sepultamento no Marajó e quatro em Belém

Naufrágio na ilha de Cotijuba: mais mortos podem estar dentro da embarcação, diz Segup; vídeo
Informação foi dada pelo secretário de Segurança Pública do Pará, Ualame Machado

Naufrágio na ilha de Cotijuba: urnas chegam ao IML para liberação de vítimas do acidente
Os corpos serão trasladados para outros municípios. Em Salvaterra, já há uma estrutura montada para receber as vítimas

Estrutura

Mais de 40 agentes dos órgãos que compõem o sistema de segurança pública (Sieds) - como as polícias Militar, Civil e Científica, Corpo de Bombeiros, grupamentos Aéreo e Fluvial -, além da Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon), Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Renda (Seaster), Fundação Parapaz, Secretaria de Articulação e Cidadania (SEAC), Companhia de Portos e Hidrovias (CPH) e Fundação Papa João Paulo II (Funpapa) estão atuando de forma integrada em toda a logística.

As ações contam, ainda, com cerca de 80 militares da Marinha do Brasil embarcados no Navio Patrulha “Guanabara”, no Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Xingu” e na Agência Escola Flutuante “Mutirum”. Equipes de mergulhadores e uma aeronave UH-15 “Super Cougar”, da Marinha, auxiliam nas operações de busca e salvamento. Também foram empregadas nove embarcações dos órgãos de segurança e uma aeronave do Grupamento Aéreo de Segurança Pública, que estão atuando nas buscas. 

Traslado

No final da manhã desta sexta-feira (9), um Ferry Boat foi disponibilizado pelo Governo do Estado para fazer o traslado dos corpos, sobreviventes e familiares da capital ao Marajó, garantindo toda a assistência necessária nesse momento. 

Naufrágio na ilha de Cotijuba: buscas por vítimas são retomadas nesta sexta-feira (9)
A operação conta com mais de 80 agentes de segurança pública, 10 embarcações e uma aeronave

Naufrágio na Ilha de Cotijuba: Pará tem luto oficial de três dias
O governador Helder Barbalho confirmou e adiantou a medida pelas redes sociais, se solidarizando com as vítimas

Naufrágio na Ilha de Cotijuba: Prefeitura de Belém decreta luto oficial de três dias
Até a noite desta quinta-feira (8), 11 mortes estava confirmadas após o acidente com a embarcação que estava em condição irregular

Investigação

As investigações continuam sendo feitas pela Polícia Civil, que instaurou um inquérito policial para investigar o naufrágio por meio da Delegacia Especializada Fluvial (DPFlu), com a oitiva de testemunhas e levantamento de mais informações sobre o ocorrido. A PC também poderá solicitar medidas cautelares ao Poder Judiciário em relação aos responsáveis pela embarcação.

Paralelamente a essa investigação, a Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR), instaurou um inquérito para apuração dentro das suas atribuições e convocará os responsáveis pela empresa para apuração e esclarecimentos. Ressalte-se ainda que, no dia 3 de agosto, a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon) relatou a operação irregular da embarcação Clícia x Expresso, da mesma empresa da embarcação naufragada, a qual foi inspecionada e apreendida. 

Naufrágio na ilha de Cotijuba: escola está sendo ponto de apoio para vítimas
Várias pessoas levaram donativos para as mais de 60 pessoas que sobreviveram ao acidente

Naufrágio na Ilha de Cotijuba: proprietários de embarcação serão investigados por homicídio doloso
Para a Polícia Civil, pelos primeiros relatos, os proprietários da embarcação assumiram o risco de das mortes

Naufrágio Ilha de Cotijuba: empresa foi notificada e teve outra embarcação apreendida, diz governo
Informações foram repassadas pelo Estado, durante entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (8)

Assistência

Concomitante às buscas, o serviço de atendimento multidisciplinar segue sendo realizado na área do Grupamento Fluvial de Segurança Pública, com três carretas da Secretaria Estadual de Saúde, Defensoria Pública do Estado, Fundação Parapaz e Seaster, que estão acolhendo e atendendo com emissão de certidão de nascimento e carteira de identidade os sobreviventes e familiares. Uma equipe de psicólogos e assistentes sociais estão prestando total apoio às famílias das vítimas, bem como aos sobreviventes do naufrágio.

Serviço

Familiares de pessoas desaparecidas podem procurar o Grupamento Fluvial (GFlu), localizado na Avenida Arthur Bernardes, n° 1000 (Ao lado do CIIR), onde serão atendidos por uma equipe multidisciplinar encarregada de fornecer informações, serviços essenciais, assistência psicossocial ou qualquer outra necessidade urgente. Contatos podem ser feitos também pelo telefone da Defesa Civil do Estado do Pará(91) 98899-6323.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ