EU REPÓRTER

Clique aqui e mande sua história ou denúncia e ela poderá ser transformada em notícia. Aqui é Jornalismo Colaborativo!

Feirantes denunciam descaso e abandono da Feira do Complexo do Jurunas

Trabalhadores aguardam término de reforma há quase dois anos. Prefeitura diz que irá realizar adaptações técnicas

Carolina Mota, com a colaboração dos leitores Abraão da Silva e Rosângela Peniche
fonte

Feirantes do bairro do Jurunas, em Belém, denunciam o descaso com o espaço para alocação dos trabalhadores, conhecido como Complexo do Jurunas, que foi inaugurado há dois anos mas que encontra-se sem uso desde então. Segundo eles, o complexo está abandonado e teria sido ocupado por pessoas em situação de rua e suspostos usuários de drogas.

VEJA MAIS

image Unidade pedagógica do Tapanã apresenta problemas de infraestrutura, afirmam denúncias
Segundo relatos, a escola não possui cobertura de quadra e os pais de alunos fizeram rifa para comprar ventiladores


image Obra pública está paralisada há mais de um ano no residencial Mururé, dizem moradores
Obra teria iniciado em 2018


image Casa abandonada abriga supostos criminosos, afirmam denúncias
Práticas estariam ocorrendo há mais de oito meses na rua Diogo Moia

De acordo com as denúncias, o complexo foi inaugurado com a obra inacabada e os feirantes ficaram aguardando a conclusão do trabalho para que pudessem ser alocados, o que ainda não ocorreu.

Com o espaço aberto, mas sem autorização para uso comercial, supostos criminosos passaram a tomar conta do localCerca de 200 feirantes estão trabalhando na parte externa do complexo em situações precárias, segundo relatos.

Precariedade

As barracas foram colocadas nas extremidades das ruas, o que dificulta o trânsito na área. Além disso, a falta de coleta de lixo no local faz com que clientes evitem ir à feira improvisada devido o mau cheiro e sujeira, prejudicando as vendas dos comerciantes.

O cobrador Abraão da Silva, 42 anos, frequenta a área há alguns anos e afirmou que o local é bastante desorganizado e que os feirantes "se viram" como podem."A administração pública ignora esses espaços que podiam ser usados para a melhoria da situação dos trabalhadores da área", afirmou.

Rosângela Peniche, 56 anos, que trabalha há cinco anos na feira com venda de temperos e iguarias, disse que os feirantes sofrem também com a falta de segurança, já que a área teria sido totalmente "esquecida" por parte das autoridades.

Uma outra comerciante da área, do segmento de assistência técnica, informou que os trabalhadores precisaram "tirar do próprio bolso" para investir em melhorias e que muitas pessoas ali sofrem prejuízos tanto por conta de questões climáticas, como ventos e chuvas que levam as tendas das barracas, como por conta dos furtos frequentes nas ruas.

O que dizem os órgãos da Prefeitura

A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), em nota, informou que o novo Complexo do Jurunas foi entregue pela gestão anterior sem as adequações necessárias para o efetivo funcionamento, o que motivou a não ocupação dos permissionários na área interna.

A secretaria já esteve reunida com uma equipe técnica da Secretaria Municipal de Economia (Secon) para alinhar as demandas de adequação do Complexo e equipes das secretarias municipais de Urbanismo e Economia realizaram visita técnica na área para avaliar as intervenções solicitadas pela comissão de trabalhadores.

Segundo a nota, a Secon comunicou para a comissão dos feirantes do complexo que a Prefeitura de Belém realizará adaptações apontadas, em conformidade com as normas técnicas exigidas.

O projeto Eu Repórter é uma iniciativa do Grupo Liberal, que busca reforçar a proximidade com os leitores e internautas, incentivando ainda mais o jornalismo colaborativo. Para participar das reportagens e conteúdos, compartilhando histórias, denúncias e sugestões de matérias com a redação de O Liberal, basta acessar o site eureporter.grupoliberal.com ou enviar suas informações para o Whatsapp (91) 98565-7449, onde será iniciada uma conversa diretamente com repórteres da redação. A denúncia pode ser feita de forma anônima.

(Carolina Mota, estagiária sob supervisão de Eduardo Laviano)

Eu Repórter
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS