Técnico do Atlético-GO condena "mala branca" para vencer o Paysandu e rebate Brigatti

Wagner Lopes disse que o Dragão não precisa disso porque tem motivos para dar o melhor no jogo de sábado

Andréia Espírito Santo

A "mala branca" para vencer o Paysandu foi um dos temas mais comentados no Atlético-GO nesta semana. O técnico Wagner Lopes, porém, fez questão de frisar, em entrevista coletiva à imprensa local, que o Dragão já tem outras razões para superar o Bicola.

Leia Mais:

Brigatti crava permanência do Papão sem depender de outros jogos; entenda

Lateral pede um Paysandu "sem estresse" e lembra de mandinga

Com ex-bicolor na zaga, Atlético Goianiense enfrenta Paysandu com força máxima

"Se você perguntar para cem garotos ou meninas qual é o sonho deles, acredito que a maioria vai dizer que é ser jogador profissional. Eu falei isso para os nossos jogadores. Disse que nós somos abençoados. Amamos o que fazemos. Você fazer por honra, pelo salário que ganha, pela instituição, não é mais do que obrigação. Então nós repudiamos qualquer tipo de incentivo exterior ("mala branca"), porque já temos nosso salário, nossa premiação interna e mais outros milhares de motivos para dar o nosso melhor", destacou.

O comandante do Dragão foi ainda além e tocou na questão moral - ou imoral - que envolve o pagamento ou o recebimento de dinheiro para influenciar no resultado de uma partida:

"A coisa mais valiosa é a imagem. Se o jogador deixar a imagem ser manchada, vai perder prestígio, contrato. É muito importante uma postura profissional, honrar o nosso escudo, representar bem a nossa instituição independente de qualquer outra prática. Pensamos sempre no fair play e em fazer o nosso melhor dentro da regra do jogo", afirmou. 

Resposta a Brigatti

O técnico do Dragão falou sobre o fato do time paraense fazer o cálculo de que se vencer por 6 a 0 o Dragão se garante na Série B, sem depender de ninguém. O Dragão ocupa a sexta posição, com 56 pontos. Se vencer o Paysandu, o time goiano ainda precisa torcer contra Ponte Preta e CSA. Também precisa tirar uma diferença de nove gols de saldo para a equipe paulista e de sete gols para o time alagoano. Mas nem por isso, faz esses cálculos. 

"Tenho muitos amigos lá e todos me mandam as reportagens e audios das entrevistas. No sentido de que eles (Paysandu) querem ganhar de 6 a 0 para não depender de ninguém. A gente também sabe que a motivação do outro lado é grande. Mas prefiro ir na linha do respeito e profissionalismo, de fazer nosso melhor, respeitar o adversário que tem uma grande história, assim como o Altético tem. Cada um fazendo seu melhor, a gente vai, dentro do fairplay, buscar a vitória", comentou. 

Como o Atlético Goianiense vai jogar 

O Atlético Goianiense desembarca no final da manhã de hoje em Belém e treina à tarde no Baenão. O treino deve ser apenas para recuparar os atletas da viagem, pois o Dragão está definido para o jogo contra o Papão. O Atlético vai ter uma mudança. Jonathan retorna de suspensão no lugar de Alisson. Na esquerda segue Moraes, que agradou na partida contra o São Bento. 

Assim, o Atlético-GO vai jogar com Kléver; Jonathan, Oliveira, Gilvan e Moraes; Pedro Bambu, Vitinho e João Paulo; André Luís, Renato Kayzer e Júlio César.

Papão x Dragão

O Paysandu é o 17º colocado, com 43 pontos, sendo o primeiro do Z4. Apenas uma vitória em cima do Dragão ajuda o Papão nas chances de não ser rebaixado. No entanto, o time bicolor também precisa torcer por resultados negativos de Criciúma, Oeste e CRB. Como os times jogam todos no mesmo horário, 16 horas, é fazer o dever de casa e depois pensar nas consequências. O Paysandu vai jogar em casa e deve contar com o apoio da torcida. 

Paysandu