Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Atleta paraense não deve participar do mundial de triathlon por falta de patrocínio

Claudinei Souza não conseguiu o auxílio governamental para custear as passagens e estadia para ir para a competição que ocorre na Eslováquia

Aila Beatriz Inete

O paraense Claudinei Souza, de 38 anos, seria o representante do município de Barcarena e do Pará no Mundial de Triathlon de Longa Distância 2022, que ocorre entre os dias 18 e 21 de agosto, em Samorin, Eslováquia. No entanto, o triatleta não deve conseguir participar da competição, já que o pedido de auxílio para custear a viagem não foi deferido pelo governo e o atleta não tem patrocínio.

“No dia 10 de junho eu protocolei o meu pedido, eles me deram um retorno na quinta-feira (11) indeferindo o meu pedido. Como foi semana passada, está praticamente impossível conseguir reverter essa situação e conseguir recursos para passagens, estadia e alimentação”, relatou Claudinei Souza. 

Segundo o atleta, a justificativa para o pedido ter sido indeferido foi que a solicitação não estava em nome de Claudinei. Contudo, o triatleta garantiu que tudo foi protocolado corretamente. 

VEJA MAIS 

Do sedentarismo ao Iron Man, triathlon leva paraense de Barcarena para a Europa
Claudinei Souza deixa para trás lesão no joelho e passado sem exercícios após descobrir, por acaso, como a rotina de triatleta transformaria sua vida

Atleta de Barcarena é classificado para o Mundial de Triathlon na Eslováquia
Exemplo de superação, Claudinei Souza treina diariamente corrida e ciclismo nas ruas e natação nas águas da cidade

Treino coletivo leva mais de 200 atletas à orla do Caripi em Barcarena
Evento arrecadou fundos para as despesas da viagem do triatleta Claudinei Souza à Eslováquia, onde irá participar do Mundial de Triathlon de Longa Distância 2022

Claudinei conseguiu a vaga para o mundial após participação no Campeonato Brasileiro da modalidade. Em julho, o o atleta organizou um evento em Barcarena para arrecadar fundos para custear a sua inscrição na competição.

O paraense contou que como não conseguiu reverter a situação, tentou solicitar o reembolso da sua inscrição e aguarda retorno. “Diante desse cenário fica impossível usufruir da vaga no mundial conquistada tão arduamente. Mesmo já tendo pago inscrição, comprado o uniforme oficial e retirado o passaporte, não tem como [ir para a disputa] porque os valores de passagens são altos”, concluiu o triatleta. 

Claudinei começou no esporte há cinco anos. Ele saiu do sedentarismo e conseguiu superar um ligamento rompido no joelho. O paraense treinava todos os dias às 4h da madrugada para chegar bem na competição.

(*Aila Beatriz Inete, estagiária, sob supervisão de Pedro Cruz, coordenador do Núcleo de Esportes)

Mais Esportes
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM MAIS ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES