Canabidiol: MPF instaura auditoria para apurar resolução do CFM que restringe o uso

O MPF solicitou à Anvisa documentos que consubstanciem as evidências científicas que sustentam a resolução

O Liberal
fonte

Após o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicar uma resolução que restringe o uso do canabidiol no Brasil, autorizando apenas em caso de tratamento de epilepsias de crianças e adolescentes resistentes à medicamentos tradicionais – na Síndrome de Dravet e Lennox-Gastaut e no Complexo de Esclerose Tuberosa -, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou uma auditoria para apurar a decisão da entidade de classe. As informações são do Portal Metrópoles.

“A efetivação do direito fundamental à saúde é fator indutor da cidadania e da dignidade humana”, declarou o procurador Ailton Benedito de Souza, responsável pelo procedimento. 

Como uma das primeiras providências, o MPF solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) documentos que consubstanciem as evidências científicas que sustentam a resolução. Ao Ministério da Saúde, foram solicitadas informações sobre as repercussões administrativas, financeiras e técnicas no Sistema Único de Saúde (SUS) das resoluções da Anvisa e do CFM. Os órgãos têm 15 dias para responder às demandas.

VEJA MAIS

image Tutora pede à Justiça que União e Estado forneçam remédio à base de canabidiol a cão
Valentim sofre de hidrocefalia e medicamento feito com substâncias extraídas da maconha foi prescrito por um médico veterinário para que o animal tenha qualidade de vida

image Guta Stresser trata esclerose múltipla com canabidiol; entenda como a cannabis ajuda no tratamento
O Canabidiol (CBD) é potencialmente benéfico por sua ação anti-inflamatória e contra dor no tratamento da esclerose múltipla

image Usar produtos a base de maconha pode deixar a pessoa 'chapada'?; entenda
A Cannabis, popularmente conhecida como maconha, é usada de forma medicinal para o alívio de dores, no tratamento de epilepsia e ansiedade

image Anvisa libera o décimo produto medicinal à base de canabis
Autorização foi publicada nesta sexta-feira (7) por meio de portaria

Conforme a resolução nº 2.324, de 11 de outubro de 2022, os médicos ficam proibidos de ministrar o medicamento em outras terapias e de prescrevê-lo in natura ou derivados para uso medicinal. Eles também não podem realizar cursos e palestras promovendo o uso do canabidiol.

A decisão, apesar de benéfica aos pacientes com epilepsia, é negativa a pacientes com outros transtornos que vêm sendo tratados com canabidiol e apresentam sinais de avanço, como como doenças de Parkinson, Alzheimer, distúrbios de ansiedade, do sono e do movimento.

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL