Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Greve de Rodoviários: trabalhadores da São Luiz estão paralisados há quase 15 dias

Apenas a linha Canudos - Presidente Vargas está sendo parcialmente reposta pela empresa São José

Camila Guimarães

A paralisação dos trabalhadores rodoviários da empresa São Luiz completou duas semanas nesta segunda-feira (25). Cerca de 10 mil usuários são afetados pela falta dos ônibus das linhas Canudos - Presidente Vargas, que está sendo parcialmente reposta pela empresa São José, e Canudos - Praça Amazonas II (Tucunduba), que está completamente em falta.

VEJA MAIS

Greve de Rodoviários: funcionários da linha Benevides-São Brás paralisam atividades
Trabalhadores dizem estar sem salário desde novembro de 2021

Aumento da passagem: movimentos sociais se manifestam contra reajuste em Belém
Manifestação ocorre em frente ao Setransbel, no bairro de Nazaré, que fica na rua dos Mundurucus

Transtorno para os passageiros

João Pinheiro, morador da área próxima ao canal do Tucunduba, relata que os ônibus pararam de rodar há 14 dias. “A alternativa para quem mora aqui é pegar uma van ou mototaxi até a avenida Celso Malcher para poder pegar um ônibus e ir para o centro”, relata.

A reposição dos ônibus por outras empresas foi uma determinação da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), conforme informa em nota: "Para não deixar os usuários do transporte público desassistidos, a Semob determinou que as empresas São José e Rio Guamá, que dispõem de linhas com itinerários sobrepostos aos da São Luiz, também reforcem suas frotas enquanto durar a paralisação".

VEJA MAIS

Paralisação de rodoviários da São Luiz deixa quase 10 mil sem ônibus
Empresa opera as linhas Canudos - Praça Amazonas II (Tucunduba) e Canudos - Presidente Vargas

Entretanto, moradores relatam que apenas uma das linhas continua rodando (em intervalos de cerca de meia hora): "a gente ainda vê passar os ônibus Canudos - Presidente Vargas, mas os do Tucunduba estão totalmente parados. Não tem, não", conta o feirante Raimundo Moisés. A equipe de reportagem percorreu o bairro e não encontrou nenhum ônibus da linha Canudos - Praça Amazonas II (Tucunduba) circulando e nenhum ônibus de reposição da empresa Rio Guamá.

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belém (Setransbel) comunicou que "...a crise do transporte coletivo vem sendo anunciada há vários anos, agravada com o congelamento da tarifa durante quase três anos. O resultado hoje é a falta de recurso das empresas para honrar seus compromissos, também impactadas pela ausência de definição do subsídio previsto pela Prefeitura de Belém que iria recompor a tarifa técnica definida em R$5,00 pela Semob, e aprovada pelo Conselho de Transporte. O prejuízo mensal do sistema já ultrapassa R$12 milhões"

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM