Conheça o ‘bolinho de piracuí’ do chef paraense Saulo Jennings que foi servido na posse de Lula

Dono do restaurante Casa de Saulo serviu prato paraense durante cerimônia e conquistou o paladar dos convidados

Amanda Martins
fonte

O chef  Saulo Jennings, do restaurante Casa do Saulo,  fez sucesso ao assinar um dos pratos no jantar servido por Lula e Janja a convidados após a posse,  em Brasília, que ocorreu no último domingo (1º).  O bolinho de piracuí, receita típica paraense, foi a opção oferecida pelo cozinheiro no cardápio, que contava com outros ingredientes típicos do Brasil e da cultura local. Em conversa com o Grupo Liberal, ele deu mais detalhes sobre o porquê ter levado a iguaria e da felicidade ao ver o petisco ganhando notoriedade fora do Pará.

VEJA MAIS

image Posse de Lula: Chef paraense assina prato no jantar que será servido por Lula e Janja a convidados
Saulo Jennings, do restaurante Casa de Saulo, servirá bolinho de piracuí, receita típica paraense

image Camarão Carimbó: saiba como fazer o famoso prato do 'Engenho Dedé'
Aprenda a fazer essa delícia que mistura o doce do abacaxi com camarão e quatro queijos; um prato para comer 'dançando'

image Valorização cultural: chef do 'Engenho Dedé' homenageia Pará com prato inspirado no 'carimbó'
Chef André Parente é amazonense, mas afirma ter se 'sentido em casa' desde a primeira vez que veio ao Pará. Por isso, decidiu homenagear o Estado com um prato especial

Saulo contou que os chefs participantes da montagem do cardápio, que teve como nomes Kátia Barbosa, Bela Gil,  Ieda Matos e Paulo Machado, quiseram trazer para o menu do jantar da posse toda a “brasilidade” do país. 

“Isso foi muito importante para pôr algumas coisas brasileiras, como a tapioca, o cupuaçu. Não é que os outros produtos não tenham valor, mas a gente tem que colocar na mesa, em locais importantes, os nossos produtos e com muito respeito, com muito merecimento que esses produtos tem que ter”, afirmou o chef de cozinha.

Para representar  a culinária brasileira amazônida, Jennings levou o bolinho de piracuí, um produto que tem técnica ancestral indígena e é feito com mandioca temperada e a “farinha” do peixe acari-bodó, muito típico do oeste do Pará. Fritos na hora, petisco que serviu como entrada no cardápio, veio acompanhado de uma geleia do cupuaçu levemente apimentada.  

image Bolinho de piracuí servido com geleia de cupuaçu levemente picante  (Amanda Gaspar / Especial O Liberal)

“Os bolinhos foram recebidos com muita surpresa, porque não é todo mundo que conhece e perguntaram: ‘o que pode ser? bacalhau?’. Eu expliquei que era um peixe seco da nossa região, que dá muito nessa época e as pessoas costumam desidratar para fazer farinha de peixe, que é do piracuí”, explicou.

O chef paraense afirmou que sentiu-se muito feliz com a notoriedade que o prato ganhou com a repercussão, e disse estar contente por “levar e elevar os nossos ingredientes onde eles devem estar”. 

“O piracuí foi a representatividade de muitos outros ingredientes que nós temos aqui para valorizar, tucupi, sementes, farinhas, peixes, tantos outros que movem essa cadeia produtiva da agricultura familiar”, destacou Saulo, acrescentando que esteve em um ‘momento’ que muitos outros profissionais gostariam de estar e parabenizou os colegas com quem dividiu a “assinatura” do cardápio. 

Bolinho é feito de forma artesanal e com ingredientes regionais

A sub chef da cozinha do restaurante, Célia Maria Pinheiro, que trabalha há três anos na Casa do Saulo, disse que o bolinho de piracuí é uma das entradas mais pedidas no estabelecimento. Ela contou que ele não é produzido em Belém, e sim na matriz, localizada em Santarém, no oeste do Pará.

image Ana Emília Maia (à esquerda) e Célia Maria Pinheiro (à direita) (Amanda Gaspar / Especial O Liberal)

Além de ser feito com ingredientes regionais, todas as folhas e temperos são frescos, e não condimentados. “O Saulo prioriza muito a nossa raíz. Os bolinhos já chegam prontos para a gente somente fritar”, explicou a cozinheira.

Com a repercussão positiva do prato na posse de Lula, a cozinheira líder, Ana Emília Maia, afirmou que ficou emocionada ao saber da notícia. 

"Ele poderia ter escolhido vários outros pratos, mas ele escolheu justamente o prato por ter dessa região. E o bolinho tem essa premissa, ele achou interesse destacar a valorização da culinária indígena, que chega na mesa do cliente e de várias pessoas”, acrescentou.

 

Belém
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM