Confira 13 dicas para suas férias com as crianças

Cuidados de saúde e segurança evitam acidentes, que crescem 25% nesta época do ano

Redação integrada de O Liberal

Cerca de 200 mil acidentes domésticos ocorrem com crianças no Brasil todos os anos. Os riscos mais graves envolvem casos de queimaduras, quedas e até afogamentos - o que pede atenção dos pais, já que nas férias escolares essas ocorrências aumentam em média 25%. Confira 13 dicas para aumentar essa atenção:

LEIA TAMBÉM:
- Conheça as 9 melhores praias do Pará para curtir em 2019
Vai viajar? Veja dez dicas importantes sobre vacinas antes de zarpar
Viagem de fim de ano pede prudência, paciência e planejamento


1 - QUEDAS
São ocorrências preocupantes, pelos riscos de traumatismo craniano. A criança pode se descuidar e escorregar em pisos molhados e ao redor de piscinas;

2 - CORTES
Atenção a azulejos quebrados, ralos ou pedras soltas em piscinas, pátios e quintais. Não relaxe também em hotéis, clubes ou pousadas. Muitos não fazem a devida manutenção em áreas de lazer;

3 - AFOGAMENTOS
Quando não é fatal, a falta de oxigênio no cérebro pode deixar sequelas graves. Nunca deixe crianças que não sabem nadar sozinhas em banhos e certifique-se de que a área é cercada ou tem alarme sonoro se a píscina é em sua casa;

4 - BANHOS E MERGULHOS
Evite que crianças saltem ou pulem em águas escuras, sem visibilidade, perto de pedras ou em águas rasas em mergulhos em psicinas, rios, igarapés e outras áreas de banho. Esses acidentes em épocas de férias são a segunda maior causa de lesão na medula no Brasil e atigem mais crianças e jovens;

5 - PATINS, BICICLETAS, E PATINETES
Sempre monitore brincadeiras com patins, bicicletas, skate ou patinetes. Sempre prefira que usem o kit de proteção (capacete, joelheira e cotoveleira) e brinquem em locais mais adequados e seguros;

6 - SEMPRE À MÃO
Famílias em viagem devem sempre levar um kit de primeiros socorros para pequenos ferimentos: gaze, algodão e produtos para limpar ferimentos, analgésicos e remédios contra febres repentinas, assim como pomadas com antibióticos, são indispensáveis, além de repelentes e outros itens de apoio.

7 - REMÉDIOS NA MALA
Nunca esqueça: as condições de passeio devem permitir acesso a tratamentos que devem ser continuados ao longo do passeio - o que exige o cuidado de não esquecer remédios antes de fazer as malas. Atenção também às condições de alergia de cada uma das crianças a produtos e remédios;

8 - ANIMAIS À VISTA
Evite passeios em búfalos ou cavalos sem um adulto por perto, ou programas que possam favorecer contato com animais selvagens (jacarés, onças e outros) ou peçonhentos (como cobras, escorpiões e aranhas). Nas praias, ferrroadas de arraias e queimaduras por águas-vivas são comuns até em poças na maré baixa: fique atento;

9 - LUGAR CERTO
Prefira locais de hospedagem (hotel, pousada, camping etc) que contem com enfermaria ou equipe de socorro. Também vale sempre checar na hora de chegar ao local de passeio: quais os hospitais ou postos de atendimento mais próximos e quais as condições e riscos do periodo de estadia. Cheque o estado de piscinas, pisos, parques, banheiros e outras instalações. Inclua também atenção a segurança de portas, janelas e varandas (como redes de proteção para andares altos);

10 - PASSEIO SEGURO
Nunca deixe suas crianças sozinhas em praias, piscinas, rios, igarapés, cachoeiras, matas, morros, grutas ou trilhas, ou ao lado de foqueiras, lareiras, fogões e churrasqueiras com panelas ao fogo e água fervente. Mantenha-se também sóbrio e em condições físicas adequadas à sua condição de responsável por zelar pela segurança dos pequenos. O mesmo vale ao longo da viagem - em paradas ou esperas em rodoviárias, aeroportos, postos e portos, bem como no trânsito em barcos, navios, ônibus e carros. Cuidado com eixos de motores de pequenas embarcações: confira se estão devidamente protegidos e cheque sempre a lotação e oferta de coletes ou botes salva-vidas; 

11 - ATENÇÃO AO TEMPO E AO AMBIENTE
Condições meteorológicas, ambientais e horários fazem toda a diferença para as escolhas de seus passeios e a segurança das crianças. Evite praias, bosques ou encostas em condições de temporais ou trovoadas. Oferecer água na hora certa, não expor prolongadamente as crianças ao sol a pino (entre 10he 16h) e usar sempre protetores solares ajudam; 

12 - PASSEIO DE GENTE PEQUENA
Antes de optar por trilhas, matas, praias e outros roteiros, prefira passeios mais adequados aos estados e possibilidades físicas das crianças, evitando esforços ou condições mais propícias à resistência de adultos;

13 - ATENÇÃO AO QUE VAI À BOCA
Intoxicações e infecções alimentares causadas por ingestão de plantas tóxicas ou alimentos sem condições adequadas ou com prazos vencidos são risco de dor de cabeça em passeios. Muita atenção com crianças pequenas em áreas verdes, e cheque sempre validade de alimentos e bebidas comprados em pequenos comércios ou à beira de estradas, evite ingestão de produtos com grande potencial de problemas - como sanduiches, lanches ou saladas com maionese em praias ou sem condições de refrigeração e armazenamento.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!