Rapaz baleado no Mormaço recebe alta, mas atirador segue sem identificação

Segundo família de jovem, ele segue em estado de saúde delicado

O jovem Vinicius de Moraes, de 20 anos, recebeu alta após ficar 47 dias internado depois de ser atingido na cabeça por um disparo de arma de fogo durante uma festa na casa de shows Mormaço Bar e Arte, localizada no bairro da Cidade Velha, em Belém, no dia 15 de dezembro do ano passado.

O jovem foi encaminhado para atendimento médico e seguiu hospitalizado em estado grave, evoluindo lentamente até receber alta. Mesmo agora, quase dois meses depois do incidente, a polícia ainda não divulgou a identidade do autor do disparo, dizendo que o caso segue sob investigação.

De acordo com o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Vinicius recebeu alta da unidade às 14h50 do dia 31 de janeiro. Procurada para reportagem, a família do rapaz não deu muitas informações sobre o estado de saúde do jovem. Natural de Colares, no nordeste paraense, Vinicius segue em Belém após deixar o hospital, sendo acolhido na casa de parentes.

Uma prima do rapaz, que terá sua identidade preservada disse que ele segue em estado delicado. "Esse crime interrompeu sua vida e seus sonhos, de uma pessoa totalmente ativa, responsável, determinada, independente", falou a jovem. Segundo uma outa familiar, Vinicius continua na cama, e ainda não anda ou se comunica com antes do baleamento.

Leia mais

Advogado de sindicato sustenta versão de que PM atirou em jovem no Mormaço

Rapaz baleado no Mormaço ainda está internado em estado grave

Após 13 dias, estado de jovem baleado no Mormaço passa de grave para estável

Identidade de acusado de balear jovem dentro do Mormaço ainda é ignorada pela polícia

 

"Se vocês pudessem ajudar no sentido de colaborar com as investigações para que testemunhas  - muitas pessoas estavam lá - pudessem, ainda que de forma anônima, dar informações a respeito do autor desta barbaridade, agradecemos, tendo em vista que uma pessoa que fez algo deste tipo não pode ficar impune e nem livre na sociedade, é um risco para as pessoas" disse a prima do jovem baleado, que há quase dois meses ainda espera a identificação do atirador.  

Segundo a Polícia Civil, o caso segue sob investigação pela Seccional Urbana do Comércio. De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, o atirador ainda não foi identificado pela equipe que apura o caso.

Procurada pela reportagem, a assessoria jurídica do Mormaço Bar & Arte disse que tentou manter contato com a família de Vinicius, mas os familiares não responderam às solicitações. "Desde o dia do ocorrido o Mormaço deu suporte ao Vinicius, inclusive levando-o para o hospital mais próximo e depois solicitou um leito para ele no Metropolitano. Depois disso, a família resolveu negar e impedir o contato com o Mormaço. Não quereremos em hipótese alguma prejudicar as investigações", disse o advogado da empresa. 

Questionada sobre as declarações do estabelecimento, os familiares de Vinícius de Moraes disseram que preferem permanecer em sigilo.
 

Polícia