logo jornal amazonia

Pará registra três decapitações em oito dias; veja os casos

O primeiro crime do tipo nesse intervalo de tempo aconteceu em Belém, no bairro do Guamá

O Liberal

Um caso registrado em Altamira, sudoeste do Pará, nesta quinta-feira (20), o terceiro envolvendo decapitação em oito dias no Estado. O primeiro crime do tipo nesse intervalo de tempo aconteceu em Belém, no bairro do Guamá.

VEJA MAIS

Corpo de adolescente queimado, sem cabeça e com faca na boca é encontrado em Altamira
Vítima de 17 anos apresentava sinais de intensa tortura. Ele foi encontrado numa área de mata perto do presídio de Altamira

Homem é encontrado sem cabeça em Paragominas; é a segunda decapitação no Pará em uma semana
Vítima foi identificada com Raimundo Nonato

Sem cabeça: homem é decapitado no bairro do Guamá na manhã desta quarta-feira (12)
Ocorrência foi registrada por volta das 5h pelo Centro Integrado de Operações (Ciop)

O corpo de um jovem foi encontrado decapitado na madrugada do dia 12 de outubro, na esquina entre as passagens João de Deus e Pinheiro. O rapaz não teve identidade nem idade reveladas. Ele apresentava várias lesões pelo corpo, possivelmente provocadas por arma branca.

A Polícia Civil informou que a morte é investigada pela Divisão de Homicídios: "Perícias foram solicitadas no local e diligências estão sendo feitas para apurar motivação e autoria do crime”, afirmou em nota.

Seis dias depois, no dia 18 de outubro, outro corpo foi encontrado sem a cabeça, desta vez no município de Paragominas, sudeste do Pará. Ele foi identificado como sendo de Raimundo Nonato, foi localizado na Rodovia dos Pioneiros. A motivação e autoria do crime também é desconhecida e seguem investigadas pela Divisão de Homicídios (DH) da 13° seccional de Paragominas.

Denuncie

Quaisquer informações que possam ajudar na solução do caso podem ser encaminhadas ao Disque Denúncia (181). A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer telefone. Também é possível mandar fotos, vídeos, áudios e localização para a atendente virtual Iara, pelo WhatsApp (91) 98115-9181. Em ambos os casos, não é necessário se identificar.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA