Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

​Operação de combate a crimes contra a mulher tem 1.323 inquéritos instaurados pela PC

A ação ocorreu em âmbito nacional nos dias 7 e 8 deste mês

O Liberal

Dados da operação "Resguardo" mostram que 1.323 inquéritos foram instaurados, no Pará, pelas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deams). Destes, 348 foram concluídos. Além disso, 1.052 vítimas foram atendidas, outras 7 resgatadas, 566 medidas protetivas de urgência foram solicitadas/expedidas, 37 pessoas foram presas, 8 mandados de busca e apreensão foram realizados e 11 mandados de prisão foram cumpridos.

VEJA MAIS

Homem que matou namorada a facadas passa por audiência em Santarém
O crime ocorreu no dia 30 de janeiro, próximo ao município de Rurópolis.

Adolescente é morta com 15 facadas; corpo foi abandonado em área de mata
A apuração inicial da polícia aponta que o crime tem características de feminicídio ou vingança

Homem que matou e ocultou o corpo da ex-companheira é preso, em Irituia
A prisão ocorreu no domingo. Um irmão do acusado também já havia sido preso

A operação “Resguardo” foi realizada em âmbito nacional nos dias 7 e 8 deste mês. No país, a ação foi coordenada pela Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça e da Segurança Pública, em cerca de 1,8 mil cidades dos 26 estados e do Distrito Federal (DF). Na pauta, o combate a crimes de violência contra mulheres, por meio de ações coordenadas das Polícias Civis. Durante o período de atuação, a PC também recebeu 73 denúncias via Disque-Denúncia e realizou 17 palestras informativas para mulheres.

O delegado-geral da Polícia Civil, Walter Resende, destacou a importância das ações a favor da segurança da mulher. "A Polícia Civil não tem medido esforços para cada vez mais ampliar a rede integrada de proteção à mulher. Nosso objetivo é garantir que​ ​a mulher seja respeitada e que a violência doméstica seja combatida com toda a rigidez que o tema merece”, afirmou.

A delegada, Ariane Melo, titular da Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (Dav) da Polícia Civil, também pontuou a importância das ações preventivas, como palestras e rodas de discussão, além das denúncias de qualquer tipo de violência contra a mulher. “É muito importante levar um pouco de conhecimento e esclarecimentos em relação a todo tipo de violência contra a mulher, seja ela física, psicológica, ou mesmo verbal. Nós ressaltamos os nossos canais de denúncias, que podem ser usados de forma anônima e, ainda, disponibilizamos as Unidades Policiais e as Unidades Especializadas em Atendimento à Mulher” destacou a delegada.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA