Operação Anonymus ainda não se refere a presos como milicianos

Polícia Civil ainda prefere "esclarecer" crimes antes de afirmar natureza dos grupos criminosos

Redação integrada de O Liberal

As investigações da Polícia Civil do Pará ainda tomam o cuidado de não classificar os policiais presos esta manhã na Operação Anonymus como milicianos, apesar de confirmar que todos participavam de organizações criminosas que praticam também execuções na Grande Belém.     

LEIA MAIS:

“Ainda temos dez dias para finalizar as investigações policiais. Prefiro não esclarecer quais são os crimes, mas tão logo tenhamos a finalização e desdobramentos repassaremos as informações”, afirmou em coletiva esta manhã o delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira. O mesmo foi reiterado pelo titular da Segup, Ualame Machado.

Armamento de organizações criminosas: execuções (Ascom - Polícia Civil)

Dez policiais militares foram presos na ação deflagrada esta madrugada (18) pela Polícia Civil e a Polícia Militar. A operação Anonymus dá cumprimento a 29 mandados expedidos pelo Poder Judiciário. Deles, 19 foram de busca e apreensão e 10 de prisão de policiais militares na ativa na Polícia Militar. Além dos policiais, um servidor civil, que vazou informações sobre a operação na véspera, também foi preso

HOMICÍDIOS

A princípio, a Polícia Civil verifica que há crimes de organização criminosa, crimes de homicídios, porte de arma de fogo de uso restrito. Porém, segundo a PC, ficarão contextualizado todos os crimes somente ao final da investigação.

“Seguindo a recomendação do secretário de Segurança Pública, esse tipo de investigação vai nos demandar sempre e não somente em relação a esse tipo de crime, mas também de facções criminosas. Temos atuado de forma firme para darmos respostas à sociedade”, destacou Teixeira.  

 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!