Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

MP pede prisão preventiva de advogado suspeito de matar a mãe no Pará

Além do crime de feminicídio, Leonardo Felipe também teria tentado matar a irmã

Andria Almeida / O Liberal

A Promotoria de Justiça de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, do Ministério Público do Pará (MPPA), ofereceu denúncia contra o advogado suspeito de matar a própria mãe a facadas e de ferir e tentar matar a irmã em janeiro deste ano no bairro Batista Campos, em Belém. Os crimes aconteceram na casa do advogado Leonardo Felipe Giugni Bahia, em um condomínio da cidade. O MPPA pediu a prisão preventiva do suspeito. Segundo a denúncia, há provas de crime, bem como indícios de sua autoria, o que de acordo com a lei é suficiente para a aplicação.

VEJA MAIS

'Eu te amo, você é meu bebê', teria dito irmã de advogado que matou a mãe, antes de ser liberada
Segundo a Polícia Civil, a fala da irmã fez com que Leonardo Felipe Giugni Bahia desistisse de cometer outro crime

PC não acredita que antialérgico possa ter causado surto psicótico em advogado que matou a mãe
De acordo com o delegado Cláudio Galeno, diretor da DH, especialistas dizem que o remédio, por si só, não produziria esse efeito

Exclusivo: OAB-PA vai acompanhar investigações sobre advogado que matou a mãe
Instituição reforça que o papel da Ordem é apenas zelar pela prerrogativa de custódia do suspeito

Exclusivo: Advogado que matou a mãe tem apenas três meses de inscrição na OAB, sem histórico de mau comportamento
Leonardo Felipe Giuni Bahia tirou a carteira profissional da instituição em outubro do ano passado

Ainda de acordo com a denúncia, outros motivos para aplicação da prisão são a segurança da vítima sobrevivente e para prevenir o risco de cumprimento da ameaça de suicídio, manifestada pelo suspeito ao ser conduzido para Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Foi pedido ainda a apresentação dos instrumentos e objetos apreendidos e a roupa usada no momento da ação criminal, além da perícia e 'print' dos conteúdos do telefone celular do suspeito enviados via WhatsApp, croquis do local, ilustrado com a planta e fotografias, e também laudo de exames do corpo de delito das vítimas, feitas pelo Instituto Médico Legal (IML).

Além disso, a denúncia requer a citação do suspeito para poder apresentar sua defesa e que seja fixado valor mínimo a título de danos morais.

Os crimes

Os crimes aconteceram no último dia 18 de janeiro, na casa da família que fica no bairro Batista Campos, em Belém. O advogado Leonardo Felipe Giugni Bahia, filho e irmão das vítimas, é o principal suspeito.

VEJA MAIS

Advogado mata a própria mãe a facadas no bairro de Batista Campos, em Belém
Leonardo Felipe Giugni Bahia foi preso em flagrante e apresentado na Divisão de Homicídios (DH). Ele também feriu a irmã

​Exclusivo: OAB-PA vai suspender inscrição de advogado que matou a própria mãe
​Medida chamada de “suspensão preventiva” vale por 90 dias

Advogado que matou a mãe deverá passar por exame psiquiátrico e toxicológico; entenda
A Polícia Civil informou que vai solicitar ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) que disponibilize um psiquiatra para identificar se Leonardo realmente teve um surto psicótico

Antes de matar a mãe a facadas, advogado tentou enforcar a irmã em Belém; entenda o caso
Mulher ainda teve dois cortes superficiais no corpo e conseguiu escapar sem gravidade

Advogado matou a mãe após discussão por pão na hora do café, diz delegado
O homem ligou para a Polícia após ter cometido o crime e contou tudo na hora

De acordo com a denúncia, o advogado teria cometido feminicídio triplamente qualificado por motivo fútil, contra a mãe, mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima mulher. Além da morte da mãe, ele também tentou matar a irmã, neste caso quadruplamente qualificado, envolvendo ainda asfixia.

O crime teria ocorrido após uma discussão de família. A irmã do suspeito foi ferida na perna, ela foi socorrida. A polícia civil instaurou inquérito e acredita que o advogado sofreu um surto psicótico.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA