Homem é condenado a 11 anos de prisão por esfaquear ex companheira

Ele agrediu a vítima, ligou o gás para tentar matá-la em outra oportunidade e, por fim, a esfaqueou

Redação Integrada

O réu, Rafael Pessoa da Silva, que já tem uma condenação por assalto e mais três processos relacionados à violência doméstica e familiar contra mulher, foi condenado na tarde desta quarta-feira (04), novamente, a 11 anos de prisão em regime fechado, em julgamento realizado no Fórum Criminal de Belém. Desta vez, ele foi julgado por tentativa de feminicídio contra Priscila Roca Viana, à época, com 27 anos, em 2017.

De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), ele foi julgado pela 1ª Vara do Júri, presidido pelo juiz Edmar Pereira. Na promotoria esteve o promotor Rui Barbosa e na defesa do réu, o defensor público Domingos Lopes Pereira.

O CRIME

O TJPA informou que o crime em questão ocorreu na casa de uma irmã da vítima, que em 2017, já estava separada do acusado, e morava no conjunto Mário Covas. Na primeira agressão, o réu espancou a mulher. A filha adolescente, presenciando a situação, chamou um vizinho para ajudar. Durante a madrugada daquele mesmo dia, o réu invadiu a residência da ex-mulher e ligou o gás, saindo do local em seguida.

Ao sentir o cheiro do gás, a vítima também correu e, como já era de manhã, procurou a delegacia. Após a denúncia, ela se escondeu na casa de parentes.

Uma semana depois dessa situação, ele descobriu o novo endereço da vítima e foi até o local, onde desferiu várias facadas em Priscila Viana. Ele só parou com a chegada do cunhado da vítima, que informou que a polícia estava chegando. Rafael fugiu do local e Priscila foi socorrida, sendo encaminhada para um hospital.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA