logo jornal amazonia

Caminhão carregado de tomate cai na cabeceira do rio Caeté em Capanema; vídeo

Motorista foi resgatado por populares e levado para UPA de Capanema

Patrícia Baía

Um caminhão carregado de tomates caiu na cabeceira da ponte do rio Caeté, no quilômetro 164 da BR -316, localizada entre os municípios de Capanema e Santa Luzia, região nordeste do estado. O acidente foi por volta do meio dia e assustou os moradores das vilas próximas ao local. As informações foram confirmadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o veículo parcialmente pendurado na ponte com o carregamento espalhado no rio. Alguns moradores nadam no local na tentativa de recuperar a carga. É possível ouvir a pessoa que filmou dizendo que estavam procurando por uma mulher que estaria no caminhão.

De acordo com informações do líder comunitário Rian Moraes, a comunidade se mobilizou para fazer o resgate do motorista, da espoa e dos dos filhos que estavam na boleia do caminhão e que caíram no rio Caeté. “Foi um susto muito grande e todos se mobilizaram para ajudar. Mas conseguimos tirar todo mundo com vida. Eles foram levados de ambulância para a Upa de Capanema, mas todos saíram bem. Só o motorista que ficou um pouco aranhado”, contou.

VEJA MAIS

Desvio na BR-316 permite passagem de veículos de grande porte; rodovia segue com cratera
O objetivo, segundo o DNIT, é permitir o tráfego de ônibus, caminhões e carretas enquanto a obra de recuperação da rodovia é realizada

Veja como está a cratera que interditou o quilômetro 18 da rodovia BR-316
A cratera foi aberta com a forte correnteza de um braço do rio Caeté, no último fim de semana, após fortes chuvas na região do nordeste paraense

Acidente com caminhão de cerveja mata duas pessoas nesta sexta (10), em Belo Horizonte
Nove veículos estão envolvidos, entre eles quatro carretas e cinco automóveis

 A carreta estava indo no sentido Santa Luzia - Capanema quando teria tombado por causa das condições da estrada, segundo o líder comunitário. “No começo do ano, por causa das chuvas, a ponte foi arrastada pela força da água e passou por reparos, mas o Dnit não passou asfalto na parte da ponte e toda vez que os carros passam por aqui tem que diminuir a velocidade por causa que tem muita pedra. Esse foi o motivo do acidente”, disse Rian Moraes.

Em nota o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que o ponto em questão está em obras emergenciais, com a devida sinalização, em razão de rompimento da cabeceira da ponte no final do inverno. No local da recomposição do aterro e camadas estruturais do pavimento há um segmento de 13 metros de extensão onde ainda não foi realizado o acabamento em asfalto.

"As informações apuradas em conjunto com a PRF é de que a carreta viajava em comboio com caminhão baú que seguia na frente com o filho do motorista do veículo maior na direção. O caminhão reduziu a tempo, mas a carreta bateu na traseira deste tentando desviar e saiu da pista tombando para o rio Caeté. Reitera-se que o trecho está sinalizado com a devida informação de redução de velocidade devido às obras.", detalhou.

"Este DNIT recomenda o respeito à velocidade máxima permitida no trecho, que é de 80 Km/h, atenção à sinalização temporária de obras e obediência ao inciso VII do art. 220 do Código de Trânsito Brasileiro que prevê como infração deixar de reduzir a velocidade ao aproximar-se de locais sinalizados com advertência de obras ou trabalhadores na pista.", concluiu a nota.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA