Solidão e tristeza envelhecem mais rápido que o cigarro, diz estudo

A pesquisa foi feita com 12 mil adultos e avaliou os efeitos da solidão e tristeza no corpo humano

Karoline Caldeira

Uma pessoa triste e solitária pode envelhecer mais rapidamente do que uma que fuma cigarros e não vive esses estados de espírito e sentimentos. Esse é o resultado de um estudo feito pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, em parceria com a Deep Longevity, uma empresa chinesa. As informações são do portal O Povo.

Essa pesquisa avaliou como esses dois fatores atuam juntos na saúde biológica de uma pessoa em um espaço de tempo de até um ano e oito meses. Foram comparadas as emoções com o tabagismo e o resultado surpreendeu: o hábito de fumar não é mais nocivo para o corpo do que ser triste e solitário. O cigarro acelerou o envelhecimento em um ano e três meses, ou seja, um período de cinco meses a menos.

VEJA MAIS

Cães são capazes de detectar 'cheiro do estresse' com precisão de 93,7%, diz estudo
Os cachorros conseguem reconhecer, pelo cheiro do suor e pela respiração humana, os processos fisiológicos associados a uma resposta aguda a situações estressantes

Estudo indica que pessoas que comem ovos cinco vezes por semana são mais magras
Considerados alimentos de baixo custo, os ovos também têm alto valor nutricional e presença de nutrientes bioativos, dizem os pesquisadores

Fumar perto do filho pequeno eleva em 59% o risco de asma nos netos, diz estudo
De acordo com o estudo, crianças que tiveram o pai exposto à fumaça de cigarro durante a infância têm um risco maior de desenvolver asma não alérgica no futuro

Para chegar nestes resultados, mais de 12 mil adultos chineses de meia-idade forneceram seus dados como base do estudo. A divisão foi feita a partir da idade cronológica e do sexo, e cerca de um terço tinham condições subjacentes, como doenças pulmonares, câncer e alguns até chegaram a sobreviver a acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Com essas divisões, o estudo constatou que as pessoas do sexo masculino também era uma predisposição para envelhecer mais rápido. Além disso, o lugar da residência, como morar em área rural, entrou na lista devido às condições mais duras dos trabalhadores.

Duas cervejas por dia reduzem risco de demência, diz estudo
Pesquisadores acreditam que doses baixas de álcool podem ativar sistema protetor do cérebro

Pesquisa identifica moléculas associadas à depressão em idosos
A pesquisa é liderada pela Universidade Estadual de Campinas

Covid-19: uso de cannabis pode ter influenciado em sintomas menos graves da doença
Estudo apontou que pacientes que consumiram cannabis foram afetados com menos gravidade pela covid-19

(Estagiária Karoline Caldeira, sob supervisão do editor executivo de OLiberal.com, Carlos Fellip)

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO