Presidente do Peru pede 'trégua' em país sob protestos

Boluarte disse lamentar pelos mortos, que são pelo menos 46 diretamente relacionados com as manifestações

O Liberal
fonte

A presidente do Peru, Dina Boluarte, pediu, nesta terça-feira (24), "uma trégua nacional" para, segundo ela, estabelecer diálogo com as várias regiões do país, que enfrenta fortes protestos, o que tem causado uma grave crise social que foi precedida por uma crise política. As informações são da AFP.

"Convoco a minha querida pátria para uma trégua nacional para poder estabelecer mesas de diálogo, para poder fixar a agenda por cada região e desenvolver nossos povos. Não me cansarei de convocar o diálogo, a paz e a unidade", disse Boluarte em uma entrevista coletiva para a imprensa estrangeira no Palácio de Governo, em Lima.

VEJA MAIS

image Polícia peruana fecha acesso a Machu Picchu devido a protestos contra o governo
Os protestos começaram no início de dezembro, após a destituição e detenção do presidente de esquerda Pedro Castillo

[[(standard.Article) Peru: entenda os protestos políticos que deixaram quase 50 mortos]]

image Protestos no Peru: 18 pessoas morreram em um só dia durante as manifestações no país
A última segunda-feira (9) foi o dia mais letal desde o início dos protestos, em dezembro passado

Boluarte reiterou, várias vezes, seu "lamento pelos mortos" nos protestos, que são pelo menos 46 diretamente relacionados com as manifestações, que foram retomadas em 4 de janeiro no sul do Peru e mantêm bloqueios nas principais estradas do país.

Boluarte descartou, mais uma vez, sua renúncia.

VEJA MAIS

image Peru decreta estado de emergência devido a protestos violentos
Manifestações exigem eleições gerais imediatas e a libertação do presidente deposto Pedro Castillo

image Congresso do Peru derruba o presidente Pedro Castillo
Chefe do Executivo tentava dissolver o Congresso, mas parlamentares fizeram uma contraofensiva

image Após impeachment de Castillo, a vice Dina Boluarte assume a presidência do Peru
Congresso derrubou chefe do Executivo que tentava dissolver o Congresso

"Sairei quando tivermos convocado as eleições gerais [...] Não tenho a intenção de permanecer no poder", disse Boluarte de maneira taxativa, acrescentando que o Congresso, "sem sombra de dúvida", confirmará em fevereiro a antecipação das eleições, previstas para abril de 2024.

Palavras-chave

Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO