Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Namorada de brasileiro preso foi mentora de atentado contra Kirchner, afirma jornal

Mensagens encontradas pela Polícia apontam que foi Brenda Uliarte quem planejou o assassinato da vice-presidente da Argentina

O Liberal

Policiais da Argentina descobriram mensagens trocadas entre Brenda Uliarte e uma amiga, Agustina Díaz, que podem dar um novo rumo às investigações sobre o atentado cometido pelo brasileiro Fernando Sabag Montiel contra a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, no dia 1º de setembro. Pelas conversas, Brenda, que é namorada de Fernando, é quem teria planejado a tentativa de assassinato, segundo informações do jornal La Nación, divulgadas pelo portal UOL.

Na conversa, registrada um mês antes do ataque fracassado, a jovem de 23 anos diz à amiga que estava organizando um grupo para ir com "tochas, bombas, armas e tudo" para matar a vice-presidente. "Serei a libertadora da Argentina. Eu estava praticando tiro, eu sei como usar uma arma", afirmou. "Vou mandar matar Cristina", completou Brenda. Em outro trecho, ela afirma a Agustina: "Mandei um cara para matar Cristina".

VEJA MAIS

Polícia argentina prende mulher suspeita de envolvimento no ataque a Cristina Kirchner
A pessoa é uma amiga próxima de Brenda Uliarte, que planejou o atentado junto do namorado Fernando Montiel, responsável pelo disparo contra a vice-presidenta da Argentina

Atentado contra Cristina Kirchner foi planejado por brasileiro e namorada
Fernando Montiel e Brenda Uliarte foram detidos. Justiça da Argentina aponta que os dois fizeram um ‘acordo prévio’ para tentar matar a vice-presidente do país

Namorada do homem que tentou matar a vice-presidente da Argentina diz: 'fiquei espantada'
Em entrevista, ela diz que não achou que ele conseguiria fazer algo assim; segundo Ambar e outros amigos de Fernando Sabag Montiel, eles vem sendo ameaçados de morte após o atentado

Brasileiro saca arma e tenta atirar em Cristina Kirchner, vice-presidenta da Argentina; vídeo
Segundo imprensa local, o suspeito detido seria brasileiro e já teria outras passagens pela polícia

Agustina questiona, então, quanto o homem cobrou pelo serviço, e Brenda informa que nada foi cobrado, já que Montiel também estava irritado com o que estava acontecendo no país. "Eu juro que essa eu vou matar. Estou exausta que ela roube e fique impune", escreveu.

A amiga alertou para as possíveis consequências do ataque contra Kirchner. "Você percebe a confusão em que vai se meter, certo? Eles vão te procurar em todos os lugares se descobrirem que você é cúmplice na morte da vice-presidente".

Porém, Brenda argumenta que foi por esse motivo que ela mandou outra pessoa matar. "Se acontecer, vou para outro país e até mudo de identidade. Eu tenho isso pensado", declarou. "Eu tenho algum dinheiro, conhecidos. Vou embora, mas primeiro quero fazer algo pelo país”, acrescentou.

Ainda durante a troca de mensagens, as duas se referem em vários momentos a vice-presidente argentina como "cadela velha". Antes da apreensão dos celulares, algumas mensagens foram deletadas. Segundo outra análise realizada nos celulares de Montiel e Brenda, o casal já havia tentado atacar Kirchner em 27 de agosto, mas o plano foi cancelado.

Os três envolvidos estão presos.

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO