Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Paysandu: Rildo desmente viver no DM, explica contusões e fala sobre carreira e novo técnico

Jogador é a esperança de gols da torcida alviceleste

Fábio Will e Andre Gomes / O Liberal

Estreia, gol, carinho da torcida. Esse foi o cartão de visita do atacante Rildo no Paysandu, que mostrou ter estrela coma camisa bicolor. Aos 32 anos, experiente e com rodagem por vários clubes, inclusive fora do Brasil, o jogador falou com a equipe de O Liberal sobre o novo desafio em Belém, a chegada do técnico Roberto Fonseca e desmentiu que seja um jogador que sofre com lesões.

VEJA MAIS

Após 'herói' Rildo, relembre outros jogadores que marcaram na estreia pelo Paysandu Jogador marcou pelo Papão logo no primeiro jogo com a camisa alviceleste

Paysandu: conheça as três novas opções para o ataque bicolor na Série C do Brasileiro Rildo, Thiago Gomes e Rafael Grampola foram anunciados pelo Papão nesta semana

Na estreia diante do Manaus-AM, o Paysandu estava perdendo por 1 a 0, mas ele foi oportunista e deixou tudo igual, livrando o clube alviceleste da derrota no último minuto. Rildo falou da sensação de marcar no primeiro jogo com a camisa bicolor e que pensou em várias coisas após o gol.

“Feliz em poder ajudar o Paysandu, mas trocaria meu gol pelos três pontos que seriam mais importantes. Passou na cabeça o clube que apostou em mim, a torcida que vem me dando muita força e minha família que sempre está ao meu lado”, disse.

Rildo comemorando o gol deito por ele no empate contra o Manaus-AM (João Vitor Normando)

Departamento médico

A contratação de Rildo foi questionada por alguns torcedores, já que o jogador passou algumas vezes no departamento médico, porém explicou que não sofre com lesões, mas que as contusões ocorreram em disputas de jogo.

“Não tenho e nunca tive problemas físicos o que eu preciso é de ritmo de jogo por conta do tempo parado. As pessoas me rotulam por conta disso, no Corinthians-SP operei o ombro cinco vezes por conta de uma bactéria , quando voltei da lesão no ombro o Edilson me deu um carrinho que quase quebrou meu tornozelo, mais três meses parado. Nno Vasco operei o ombro de novo, mas em um local diferente da cirurgia do Corinthians-SP. Já no Coritiba-PR, durante o treino quebrei a mandíbula e tive que operar. Muitas lesões, mas devido a choques que é algo normal no futebol. Diríamos que mais por azar do que por problemas físicos, como expliquei, nenhuma lesão foi muscular”, frisou.

Novo técnico

Com a mudança de comando do Paysandu, após a saída de Vinícius Eutrópio, chegou o técnico Roberto Fonseca. Rildo ainda não tinha trabalhado com o treinador, mas afirmou que possui facilidade de adaptação ao esquema tático e citou técnicos com quem já teve experiências no futebol.

“Nunca trabalhei e nunca joguei contra [o Roberto Fonseca]. Graças a Deus todos os clubes que passei sempre me encaixei nas ideias de todos os treinadores, como o Tite, Oswaldo de Oliveira, Carpegiani, Antônio Lopes. Eespero que aqui não seja diferente”, finalizou.

Roberto Fonseca assumiu o Paysandu no lugar de Vinícius Eutrópio (Jorge Luís Totti / Paysandu)

Rodagem

Na carreira o atacante Rildo passou pelo Vitória-BA, Ponte Preta-SP, Santos-SP, Corinthians-SP, Coritiba-PR, Vasco da Gama-RJ, Chapecoense-SC, Deagu (Coreia do Sul) e por último estava no Avaí-SC.

Paysandu
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM PAYSANDU

MAIS LIDAS EM ESPORTES