Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Caso Robinho: pedido de prisão não foi feito porque PF ainda não informou a localização do jogador

Justiça italiana precisa da localização do atacante e de Ricardo Falco para poder seguir com os trâmites legais

Aila Beatriz Inete

Para seguir com os tramites da condenação do jogador Robinho e de Ricardo Falco, codenados a nove anos de prisão por crime de estupro de grupo que ocorreu em 2013, em Milão, a justiça italiana precisa que a Policia Federal informe a localização dos envolvidos. Contudo, até o momento, eles não foram notificados sobre o paradeiro dos brasileiros. 

"Enquanto não receberem da Polícia Federal o aviso de que Robinho e Falco foram localizados, não podem prosseguir com o pedido de extradição ou com o pedido de transferência de execução de pena'', declarou uma fonte da justiça italiana ao portal UOL. 

Ainda de acordo com o portal, a assessoria da PF não informou o porquê da demora para localizar Robinho. Apenas informou que como o jogador e Falco são brasileiros, não podem ser extraditados. 

"Por se tratar de nacional brasileiro, não poderá ser extraditado, tendo em vista a extradição de nacionais ser vedada por nossa Constituição, e nos termos do Artigo VI do Tratado de Extradição firmado entre Brasil e Itália… É possível à Itália solicitar a persecução penal do caso no Brasil, pelos canais de cooperação jurídica internacional e nos termos do mesmo Artigo VI do Tratado de Extradição firmado entre os dois países", afirmou a nota. 

VEJA MAIS 

Ministério Público de Milão pede extradição internacional e prisão de atacante Robinho
O Brasil não extradita seus cidadãos, mas medida por permitir que o atacante seja preso caso deixe o país

Robinho pode ser preso no Brasil após decisão do Itamaraty; entenda
No final de janeiro deste ano, a Itália enviou ao Brasil o pedido de extradição de Robinho

Condenado por estupro, Robinho recorre à Justiça para usar patinete elétrico
Atleta foi condenado a nove anos de prisão por estupro na Itália, mas segue em liberdade no Brasil

Vítima no Caso Robinho fala pela primeira vez: 'Não tenham medo de seus agressores'
Jogador foi condenado, pela justiça italiana, a nove anos de prisão por estupro

Segundo o UOL, a localização do Robinho não é tão desconhecida. O site afirmou que o jogador mora em Santos e no Guarujá, litoral de São Paulo. 

Jacopo Gnocchi, advogado da vítima, espera que seja só lentidão burocrática e "não uma tentativa de atrasar a execução de uma sentença justa. Tenho máxima confiança nas autoridades brasileiras".  

Relembre o caso

Robinho e seu amigo Ricardo Falco foram condenados no início do ano, em última instância, pela Corte de Cassação, a nove anos de prisão pelo crime de estupro de grupo contra uma mulher albanesa em Milão, na Italia. A sentença é definitiva e não tem chances para recurso. Dias depois da condenação, o Ministério Público de Milão pediu a prisão internacional dos brasileiros e, assim, o nome deles entrou na lista vermelha da Interpol. 

(Aila Beatriz Inete, estagiária, sob supervisão de Pedro Cruz, coordenador do Núcleo de Esportes)

 

 

Futebol
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM FUTEBOL

MAIS LIDAS EM ESPORTES