Sexta-feira teve crescimento de movimento em lotéricas em Belém: maioria é de idosos

Após Bolsonaro dizer que lotéricas não oferecerem risco, filas se formaram na capital

Lucas Costa

Na contramão das medidas de saúde de proteção contra o novo coronavírus, Belém teve uma movimentação maior de idosos e pessoas do grupo de risco em lotéricas nessa sexta-feira (27). A movimentação ocorre após após pronunciamento da presidência da República, na última quinta-feira (26), afirmando que "não há risco de transmissão da doença dentro de casas lotéricas", já que o vidro que separa os funcionários do público seria “blindado”.

LEIA MAIS:
- Pará segue com 13 paraenses com a covid-19, mas casos suspeitos duplicam em novo boletim
- Vendedores e servidores de São João de Pirabas brigam em barreira sanitária
- Cosanpa confirma falta de água em cinco áreas da Cidade Nova, em Ananindeua

A informação do presidente Jair Bolsonaro é incorreta. E o resultado pode ser aglomerações que aumentam da exposição de grupos de risco à doença na capital paraense. Na manhã desta sexta-feira (27), foi possível observar movimento moderado em algumas casas lotéricas de Belém. A maioria do público que saiu de casa para utilizar os serviços do local eram idosos, apurou a redação integrada de O LIberal.

Movimentação segue, apesar de recomendações de isolamento (Fábio Costa)

Em duas casas lotéricas localizadas no bairro do Marco, uma na avenida Rômulo Maiorana e outra na travessa Vileta, foi possível observar o movimento formado majoritariamente por idosos. Grande parte deles realizava serviços como pagamento de contas e boletos bancários. Nas duas lotéricas o público se organizava em filas comuns, sem respeitar a distância de um metro para evitar o contágio pela nova doença.

Precauções


Em uma casa lotérica que fica no Terminal Rodoviário de Belém, em São Brás, uma medida foi tomada para proteger os clientes. Adesivos foram colados no chão para demarcar a distância segura entre as pessoas na fila, evitando a aglomeração.

Mesmo com um movimento grande de idosos no local, o público aprovou a atitude. O microempresário Alan Daniel acompanhava a tia idosa na lotérica, e disse que a distância proposta pelo local é importante, principalmente para pessoas como a tia, que não conseguia usar os serviços de internet banking e precisava ir até a lotérica.

Ele destacou ainda que mais cedo havia visitado a uma agência bancária, que também se preocupou em manter uma distância segura entre as pessoas dentro do local. No entanto, fora da agência também havia uma fila de pessoas, mas que não estava organizada da mesma forma.

No terminal rodoviário, sinalização evitou aproximação em filas (Fábio Costa)
Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM