Vendedores e servidores de São João de Pirabas brigam em barreira sanitária

Prefeitura diz que servidores foram agredidos primeiro e reforça: ninguém deve ir ao município por conta da pandemia de covid-19

Victor Furtado

Um grupo de vendedores de açaí entrou em conflito com servidores da saúde e da segurança de São João de Pirabas (perto de Salinópolis e Capanema). O caso ocorreu na barreira montada em na localidade de Vila Santa Luzia, nesta quinta-feira (26). Vídeos da briga circulam nas redes sociais digitais e reacendem a difícil mediação de interesses econômicos e a prevenção da circulação de novo coronavírus (sars-voc-2), causador da doença covid-19. Veja:

LEIA MAIS:
- Volta a crescer movimento em lotéricas em Belém: maioria é de idosos

Pará segue com 13 paraenses com a covid-19, mas casos suspeitos duplicam em novo boletim
Cosanpa confirma falta de água em cinco áreas da Cidade Nova, em Ananindeua

 

No vídeo, dois homens discutem com guardas municipais e servidores da saúde ao tentarem passar pela barreira. Eles são impedidos. Reclamam que querem passar com uma carga de açaí e que precisam trabalhar. Reclamam que os servidores estão recebendo salários, mas que eles iriam morrer de fome. Os ânimos vão se exaltando, os tons de vozes vão subindo e uma servidora diz que a pessoa que está filmando é muito grosseira e ignorante. Outro homem também se irrita com a insistência e acusações e avança sobre um dos vendedores.

Logo em seguida, uma briga generalizada começa e pessoas caem no chão. Sem se identificar, duas pessoas dizem que os vendedores forçaram a paciência dos servidores, que estão trabalhando e expostos a um risco alto por conta da pandemia. E que os moradores de São João de Pirabas estão preocupados com a circulação do novo coronavírus.

Esse modelo de barreira, que foi adotado em outros municípios pelo Brasil, é para evitar entrada e saída de pessoas sem controle. Cidades do interior, geralmente, têm pouca estrutura de atendimento à saúde. Um vírus de rápida transmissão e complicações graves pode, facilmente, sobrecarregar o sistema. Daí a necessidade de isolamento.

Em nota, a Prefeitura de São João de Pirabas disse ser totalmente contra agressões físicas e verbais. E reforçou que as pessoas não devem ir ao município para evitar a circulação do novo coronavírus. Um boletim de ocorrência foi registrado, informou a prefeitura. Na nota, o relato é de que, às 9h, os vendedores de açaí passaram pela barreira, ignorando as recomendações de não sair. Às 19h30, quando retornavam a Pirabas, foram informados que até poderiam entrar, mas não poderiam sair novamente.

A nota da prefeitura também diz que as agressões físicas partira dos vendedores. Mas os vídeos mostram outra coisa: os vendedores fizeram várias agressões verbais, mas o primeiro soco foi dado por um servidor da barreira. As imagens são inconclusivas, podem ter sido manipuladas e tiradas de contexto. São duas versões diferentes para o fato. Ainda assim, a Prefeitura de São João de Pirabas pediu desculpas por todo o fato e voltou a pedir que as pessoas fiquem em casa para a própria proteção.

Confusão envolveu várias pessoas na madrugada (via redes sociais)

 

O que fazer


As recomendações do Ministério da Saúde são: lavar bem as mãos e pulsos ou usar álcool gel para higienização; evitar contatos físicos desnecessários, cobrir boca e/ou nariz ao tossir e/ou espirrar; não compartilhar alimentos e/ou talheres; higienizar estações de estudo ou trabalho; ao retornar de viagens onde há casos confirmados, com ou sem contato com casos suspeitos, é importante acionar os órgãos municipais de saúde e se afastar de atividades de estudo ou trabalho por, pelo menos, 14 dias.

Para manter a população informada a respeito do novo coronavírus, o Ministério da Saúde atualiza, diariamente, os dados na Plataforma IVIS, com números de casos descartados e suspeitos, além das definições desses casos e eventuais mudanças que ocorrerem em relação a situação epidemiológica. Os dados locais do Pará só costumam ser atualizados, pela Sespa, à noite ou em boletins especiais, que saem pelo Twitter.

Durante 24 horas por dia, a Prefeitura de Belém mantém o telefone (91) 98417-3985 para informações gerais e casos de suspeitas de covid-19. Há outros canais, para situações menos urgentes, que funcionam de 8h às 22h: (91) 3184-6110, (91) 98568-3067 e (91) 98568-6203. Nas redes sociais da Prefeitura há também informações oficiais sobre a doença e formas de prevenção

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PARÁ