Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Refugiada da Guerra da Ucrânia, paraense vive período de ‘estabilização emocional’ na Hungria

A publicitária paraense Cristiane Nedashkovskaya conta que muitos amigos retornaram ao país em guerra, mas ela e o marido não pensam em voltar agora

Abílio Dantas

Após sair da Ucrânia como uma das pessoas refugiadas da guerra deflagrada no dia 24 de fevereiro deste ano, a publicitária paraense Cristiane Nedashkovskaya, moradora do país e casada com um ucraniano, está na Hungria, e não possui planos de voltar ao território em conflito. Ela afirma que passa por um período de recuperação dos traumas causados pela guerra. “Não pensamos em voltar agora para morar, pois devido à lei marcial, meu marido não poderá sair do país legalmente em caso de uma nova situação de emergência”, explica.

VEJA MAIS

Fotógrafo paraense Gabriel Chaim retrata a Guerra na Ucrânia por meio de sua arte
Após retornar ao Brasil depois de passar três meses cobrindo a Guerra da Ucrânia, o fotojornalista nascido em Oriximiná, concedeu uma entrevista exclusiva à reportagem do Grupo Liberal

'Nem precisa sentar à mesa comigo. É simplesmente parar a guerra', afirma Volodymyr Zelensky
Presidente da Ucrânia deu sua primeira entrevista exclusiva para a América Latina ao programa Fantástico

Cerca de 15 mil russos morreram durante a guerra na Ucrânia, diz CIA
Outros 45 mil teriam ficado feridos. Conflito começou no dia 24 de fevereiro

Atualmente, Cristiane e o marido estão em busca de outro país para residir, que possua programa de entrada para refugiados ucranianos. “As opções são muitas por hora, e estamos estudando a melhor delas para recomeçar nossa vida. Infelizmente os planos de ir a Belém foram alterados. Iremos assim que estivermos estabilizados no país de destino. Agora, realmente só precisamos do tempo de estabilização emocional e de vida mesmo”, relata.

Alguns dos amigos de Cristiane já voltaram a morar na Ucrânia, mas ela e o marido seguem trabalhando de forma remota para empresas ucranianas. “Muitas empresas já reabriram seus escritórios e a vida está aos poucos retomando o seu ritmo. Nossa cidade continuou livre de ataques e nossa família está segura. Claro que a inflação no país disparou, mas dentro das possibilidades, todos estão bem”, completa.

Guerra segue afetando importações de fertilizantes no Pará; altas no preços já passam de 150%
Escassez do insumo provoca alta nos preços, causando efeito em cadeia na agropecuária paraense

'Eu não apoio a posição dele (Jair Bolsonaro) de neutralidade', afirma o presidente da Ucrânia
Volodymyr Zelensky deu entrevista exclusiva à TV Globo e criticou a neutralidade do Brasil decidida por Bolsonaro em relação ao conflito com a Rússia

'Preciso de uma posição do Brasil', diz presidente da Ucrânia sobre guerra com a Rússia
Em entrevista à Globo, Volodymyr Zelensky deu detalhes sobre a conversa que teve com o presidente Jair Bolsonaro e criticou a neutralidade do Brasil durante o conflito

Itamaraty reforça recomendação de não retorno ao território ucraniano

A Agência Brasil informou que o Itamaraty instruiu o embaixador brasileiro Norton de Andrade Mello Rapesta a retornar à capital da Ucrânia, Kiev, onde funciona a embaixada brasileira no país. Rapesta e parte da equipe diplomática deixaram a cidade no início de março, devido à ofensiva militar da Rússia contra a Ucrânia.

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil, em nota divulgada nesta terça-feira (26), afirmou que continua atento à evolução do que classificou como um “conflito” entre os dois países do leste europeu. O Itamaraty também garante estar pronto a retomar eventuais medidas emergenciais de atendimento a brasileiros na região e reforça a recomendação para que se evite ingressar em território ucraniano.

Rússia multa Google em US$ 360 milhões por conteúdo sobre Ucrânia
Segundo o órgão que regula as telecomunicações russas, a decisão foi tomada por um tribunal de Moscou porque a empresa não removeu conteúdos considerados ofensivos sobre a guerra

Presidente da Ucrânia demite chefe de segurança e procuradora-geral por ‘colaboração’ com a Rússia
Ivan Bakanov e Iryna Venediktova, duas figuras importantes do governo de Volodymyr Zelensky, foram demitidos neste domingo

Vídeo mostra os últimos minutos de vida de menina morta por míssil disparado pela Rússia
Vídeo publicado nas redes sociais mostra os últimos minutos de vida da criança, que tinha síndrome de Down. O carrinho que Liza carregava ficou na rua, sujo com o sangue da menina morta

Ainda de acordo com a Agência Brasil, Após deixarem Kiev, Rapesta e parte da equipe da embaixada se transferiram para Lviv, cidade a cerca de 500 quilômetros de distância da capital, próxima à fronteira com a Polônia, e onde foi montado um posto de atendimento consular para auxiliar os brasileiros que deixavam a Ucrânia.

Outros três postos temporários foram instalados nas cidades de Chernivtsi (Ucrânia), Chisinau (Moldávia), Kosice (Eslováquia) e fechados após a retirada da região de todos os brasileiros que manifestaram o desejo de deixar a Ucrânia. Segundo o ministério, a embaixada brasileira em Kiev permaneceu aberta durante todo este tempo. Desde março, o Itamaraty afirma ter atendido cerca de 250 brasileiros na região, ajudando especialmente com a emissão de documentos e travessia da fronteira.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA