Ministra do STF manda arquivar pedido de investigação sobre presidente

Argumento é de que as denúncias já são analisadas em outro inquérito na Corte

O Liberal

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia determinou nesta terça-feira (27) o arquivamento de três pedidos de investigação sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL), que foram protocoladas em março pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e parlamentares do PT. Os parlamentares pediram investigação sobre suposto envolvimento do presidente nas denúncias que levaram ao afastamento do então ministro da Educação Milton Ribeiro e à abertura de inquérito no STF para investigar o caso. As informações são da Agência Brasil.

VEJA MAIS

Milton Ribeiro admite para a filha que o presidente Bolsonaro alertou sobre busca e apreensão
Polícia Federal interceptou conversa em que ex-ministro cita textualmente o nome do presidente

'Ele que responda pelos atos dele', afirma Bolsonaro sobre prisão de ex-ministro Milton Ribeiro
'Se a PF prendeu, tem um motivo', argumentou o Presidente da República

Ex-ministro da educação Milton Ribeiro é preso pela Polícia Federal
Ele é investigado por esquema de corrupção envolvendo pastores evangélicos. Também há mandados de prisão contra dois pastores

Na decisão, Cármen Lúcia determinou o arquivamento dos pedidos por entender que a questão é investigada em um inquérito que está em andamento na Corte.

“Os fatos narrados nestes autos estão sendo investigados no Inquérito STF n. 4896, órgão judicial competente para conhecer e julgar o caso relativamente aos detentores de foro especial. Nada a deferir", decidiu a ministra.

Em abril, no parecer enviado ao STF, a Procuradoria-Geral da República (PGR) também defendeu o arquivamento dos pedidos em função da apuração que já está sendo realizada.

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA