Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Bolsonaro sobre auxílio emergencial: 'Sem ele as pessoas com fome invadiriam os supermercados'

O chefe do Executivo ainda criticou os governadores que adotaram o lockdown, inclusive Helder Barbalho

Elisa Vaz

Ao ser perguntado sobre sua avaliação acerca da gestão da pandemia e o processo de retomada da economia, durante entrevista exclusiva ao Grupo Liberal, na manhã desta segunda-feira (11), o presidente Jair Bolsonaro disse que "salvou o país". Ele ainda criticou os governadores que adotaram o lockdown, inclusive Helder Barbalho.

"Eu tinha o poder de fechar o país, mas não fechei um comércio. Todos os governos fizeram o mais fácil: política do lockdown. Inclusive o Pará. Quantas vezes vimos rodovias fechadas pelo governador, obrigando as pessoas a ficarem em casa?", questiona. "Esqueceu que temos 40 milhões de pessoas na informalidade. Esse pessoal foi para casa, não tinha de onde tirar ganhos para sobrevivenia, é um crime o que os governadores fizeram", declara.

Segundo ele, o auxílio emergencial de R$ 600 reais, adotado pelo seu governo, socorreu essas pessoas. "Salvamos o Brasil de uma catástrofe. Essas pessoas com fome iriam para rua, invadiriam supermercados atrás de comida, de boa fé. Salvamos o país. Isso alimentou a economia das cidades e dos Estados. Gastamos em 2020 o equivalente a 15 anos de Bolsa Família".

VEJA MAIS

Jair Bolsonaro diz que há '90% de chance de Braga Netto ser candidato a vice' nas Eleições 2022 Ele destaca que o ex-ministro tem grande experiência e patriotismo acima de tudo

Presidente Bolsonaro volta a defender Projeto de Lei que permite exploração em terras indígenas 'Queremos dar liberdade para eles produzirem na sua terra, a exemplo dos Estados Unidos e Canadá', disse o presidente

Bolsonaro não acredita que Congresso vote pautas importantes este ano Ele comemorou o fato de deputados terem rejeitado urgência do projeto de combate a fake news

Bolsonaro sobre auxílio emergencial: 'Sem ele as pessoas com fome invadiriam os supermercados' O chefe do Executivo ainda criticou os governadores que adotaram o lockdown, inclusive Helder Barbalho

Presidente Bolsonaro confirma agenda em Belém e Paragominas este mês de abril Um dos objetivos da visita é a entrega de títulos provisórios e definitivos

Auxílio emergencial

O benefício foi criado em abril de 2020 pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia da covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Durante o ano de 2021, o governo federal e o Congresso trabalharam para prorrogar o pagamento do auxílio emergencial, e foi promulgada, em março, a PEC emergencial que permitiu ao governo reservar R$ 44 bilhões do Orçamento para o pagamento do benefício, que foi regulamentado para atender mais de 45 milhões de famílias.

Isso, depois, deu origem à Emenda Constitucional 113, que liberou R$ 65 bilhões no orçamento de 2022, com pagamento do Auxílio Brasil no valor de R$ 400 por beneficiário.

 

Palavras-chave

Política
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA