Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Técnica de enfermagem é presa por maus-tratos contra animais, em Parauapebas

A mulher foi questionada sobre a situação dos animais e informou que teria viajado e deixado uma pessoa responsável para tomar conta dos cachorros; a versão será investigada pela polícia

O Liberal

Uma técnica de enfermagem, identificada como Graciane Coutinho da Silva, foi presa pela Polícia Civil de Parauapebas, no sudeste paraense, suspeita de maus-tratos contra animais, na última segunda-feira (18). Nesta quarta-feira (20), a PC informou que a mulher responde em liberdade e diligências são realizadas para levantar mais informações sobre o ocorrido.

VEJA MAIS

Macacos atacam casal e jogam bebê de quatro meses do telhado
Uma série de ataques de macacos assusta moradores de uma vila na Índia. Animais teriam aprendido a usar armas e até veículos

Flagrante em praia de Salinas renova alerta para cuidados com arraias
Especialista orienta o que fazer em caso de flagrante de animais aquáticos nas praias

A Guarda Municipal de Parauapebas, por meio do Grupamento Canil, recebeu uma denúncia de que na residência da mulher dois cachorros estavam em situação precária, sendo que um deles estava morto há muito tempo. De posse das informações, os agentes foram até o endereço e constataram a veracidade da denúncia. Eles precisaram quebrar o cadeado para acessar o imóvel e resgatar o segundo cachorro.

Cerca de 30 tartarugas ameaçadas de extinção são encontradas esfaqueadas
Segundo um jornal japonês, um pescador admitiu ter ferido os animais ao soltar uma rede de pesca

A técnica de enfermagem foi questionada sobre a situação dos animais. Ela informou que teria viajado e deixado uma pessoa responsável para tomar conta dos cachorros. Graciane foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil para prestar depoimento. A versão apresentada por ela está sendo investigada.

Em nota, a Polícia Civil informou que “um inquérito policial foi instaurado para apurar o crime de maus-tratos a animais com resultado de morte”. “A mulher está respondendo em liberdade. Diligências estão sendo feitas para levantar informações a fim de concluir o inquérito policial e remetê-lo ao Poder Judiciário”, informou a Polícia Civil.

A reportagem também procurou a Prefeitura de Parauapebas, para se manifestar sobre o assunto, uma vez que Graciane é servidora municipal. Por nota, a prefeitura, através da Secretaria de Saúde (Semsa), disse que condena qualquer ato que cause sofrimento animal e que o estatuto do servidor não prevê medidas administrativas neste caso. Porém, a Semsa informou que está acompanhando as investigações realizadas pela Polícia Civil e espera que tudo seja esclarecido o quanto antes.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA