Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fotógrafo tenta ajudar mulher que estava sendo agredida por suposto PM e é baleado, em Ananindeua

Após o disparo, o suposto PM fugiu com a criança de colo que a companheira carregava

O Liberal

O fotógrafo Êxodo Happy de Jesus Santos, mais conhecido como “Junior Hoffman”, foi baleado por um suposto policial militar, na tarde desta terça-feira (26), no conjunto Cidade Nova IV, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém (RMB). O autor dos disparos seria o cabo Paulo Fernando Fonseca da Silva Leal, da Polícia Militar do Pará (PMPA), informou a Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM).

Testemunhas disseram que Paulo estaria discutindo com a companheira, que segurava uma criança de colo, quando possivelmente a mulher foi agredida. Êxodo viu a violência e teria tentado ajudar. Nesse momento, o cabo estaria com a arma de fogo em punho e disparou na perna do fotógrafo. O policial fugiu do local com a criança. Não há informações sobre o paradeiro dele.

VEJA MAIS

Dupla em moto atira contra major da PM quando vítima saía de casa em Barcarena
O crime ocorreu nesta sexta-feira (13). vítima foi atingida por um tiro e a bala teria se alojado nas costas

PM briga e atira contra o próprio primo dentro de carro
Os dois estariam voltando de uma festa quando, por ciúmes de uma mulher, acabaram se desentendendo

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram uma mulher ao lado do fotógrafo que aparece com a perna ensanguentada. “Aquele dono da moto mora na frente de casa. Ele atirou no menino aqui”, diz a mulher se referindo ao autor dos disparos, que possivelmente seria o cabo Leal.

Familiares de Junior registraram um boletim de ocorrência na Seccional da Cidade Nova. De acordo com a Diretoria de Polícia Metropolitana, o caso já foi tramitado para  a Delegacia De Crimes Funcionais (DECRIF).

O fotógrafo foi encaminhado para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), onde aguardava a avaliação de um profissional. O estado de saúde dele não foi divulgado até a publicação desta matéria.

Procurado pela reportagem, o promotor de justiça Militar Armando Brasil disse que ainda não possui a confirmação se o autor dos disparos seria mesmo um policial militar. Brasil pediu que as vítimas procurem a Promotoria Militar ou a Corregedoria-Geral da PM para prestar esclarecimentos sobre o fato.

A redação integrada de O Liberal solicitou mais detalhes para as polícias Militar e Civil. A reportagem aguarda retorno.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA