Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Reconstituição da morte de Yasmin será feita em janeiro, diz advogado

Os eventos que levaram à morte da influenciadora digital em um passeio de lancha pelo furo do Rio Maguari devem ser reconstituídos na primeira quinzena do próximo mês

O Liberal

Luiz Araújo, advogado de defesa da família de Yasmin Cavaleiro de Macedo, confirmou que teve seu pedido deferido e os eventos que levaram à morte da influenciadora digital e estudante de medicina veterinária no dia em que esteve em um passeio de lancha pelo furo do Rio Maguari, em Belém, na noite de 12 de dezembro devem ser reconstituídos na primeira quinzena de janeiro.

"O delegado atendeu o meu pedido e confirmou que vai ser feita a reprodução simulada dos fatos", informou o advogado. Segundo Luiz, o pedido foi feito na última semana, e é uma importante ferramenta para esclarecer os acontecimentos e confirmar os depoimentos. "É importante que isso seja feito para tirar as dúvidas dos depoimentos e confirmar o que foi dito", explica.

Ainda Segundo o Luiz, a simulação do dia da morte de Yasmin será feita pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, no mesmo local e horário dos eventos, ou seja, no período da noite e no Rio Maguari.

O caso

Uma história cercada de mistério rodeia a morte da influencer e estudante de medicina veterinária, Yasmin Cavaleiro Macêdo, de 21 anos. Encontrada morta às 12h40 do dia 13 de dezembro, horas depois ter desaparecido nas águas durante um passeio de lancha pelo furo do Rio Maguari, em Icoaraci. Segundo o Corpo de Bombeiros  Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Yasmin foi encontrada por mergulhadores do 1º Grupamento Marítimo Fluvial (1º GMAF), a aproximadamente 11 metros de profundidade, próximo do local indicado pelas testemunhas.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA