Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Oficial de Justiça é morto a tiros em Novo Repartimento

O servidor foi alvejado a tiros por dois homens que estavam em uma moto

Fabyo Cruz

Um oficial de Justiça, identificado como Clayton Nazare do Socorro Martins, foi assassinado na manhã desta quarta-feira (29), por volta das 11h, no bairro de Nossa Senhora Aparecida, próximo da praça da Vila Tucuruí, no município de Novo Repartimento, no sudoeste do Pará. O servidor foi alvejado a tiros por dois homens que estavam em uma moto. Com informações do site Correio de Carajás.

VEJA MAIS

Motociclista é morto a tiros em Altamira neste domingo (26)
Criminosos ordenaram que a vítima descesse da moto e deitasse no chão, para, então, dispararem contra ela

Jovem é morto a tiros na Estrada Icuí-Guajará, em Ananindeua
O crime ocorreu na tarde desta segunda-feira (20)

Dono de distribuidora de bebidas é assassinado a tiros em Parauapebas
Dois homens armados efetuaram os disparos na vítima que não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Regional da Transamazônica

Leia na íntegra a nota do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Pará sobre a morte do oficial de Justiça Clayton Nazare do Socorro Martins

“É com profunda tristeza, que o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Pará, confirma o assassinato do Oficial de Justiça CLAYTON NAZARE DO SOCORRO MARTINS MESQUITA, lotado em Novo Repartimento. Ao tomar conhecimento do fato, imediatamente os diretores saíram em diligência no sentido de identificar a autoria do crime. Diversos setores do Tribunal de Justiça do Pará entraram em contato para prestar apoio, inclusive o Juíz da comarca, Dr. José Jonas Lacerda. O serviço de inteligência do estado já foi acionado para ajudar na elucidação do crime. Ser Oficial de Justiça no Pará, vai além de um desafio, sendo um ato heróico, principalmente na região onde aconteceu o crime. Diversas comarcas contam com pouco efetivo policial, pouca ou nenhuma estrutura para o desenvolvimento da função. Existem mandados judiciais cujo cumprimento da ordem pode superar os 600 km de distância da sede. Mesmo com essa distância, o Oficial de Justiça somente conta com a caneta e a sorte para cumprir todos os tipos de mandados, inclusive de prisão, busca e apreensão e medidas protetivas. Infelizmente o Poder Judiciário não reconhece o Oficial de Justiça como um agente que sofre exposição diariamente. Cumprir ordem judiciais gera conflitos a todo momento, estando o Oficial de Justiça suscetível à fúria da sociedade. O Poder Judiciário, através do seu órgão administrativo, Conselho Nacional de Justiça, deve desenvolver políticas de segurança e aparelhamento dos Tribunais de todo país, inclusive com equipamentos de proteção individual e serviço de inteligência. A morte do oficial de justiça Clayton não pode ficar apenas na estatística, o Oficialato de todo o país tem que cobrar uma resposta dos órgãos competentes. Deixamos através dessa nota, toda a solidariedade aos familiares e amigos do colega Clayton Martins e o sentimento de pesar de toda categoria do Brasil. Que Deus receba o Herói, Clayton Martins, Oficial de Justiça do Tribunal de Justiça do Pará, que tombou no estrito cumprimento do dever legal.”

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA