Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

VÍDEO: Motorista de aplicativo é acusada de assalto e passageira explica que foi mal entendido

Pamela Suellen da Cruz Neves teve suas fotos divulgadas em grupos e foi alvo de mensagens de ódio. Ela registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil da Marambaia

O Liberal

A motorista de aplicativo Pamela Suellen da Cruz Neves foi acusada por um homem, sem provas, de ter cometido um assalto e teve sua foto divulgada em grupos de redes sociais, acompanhada de mensagens de áudio com xingamentos, na manhã desta quinta-feira (9). Ela registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil da Marambaia, em Belém, no qual afirma ter sido vítima dos crimes de calúnia, difamação e injúria.

Em entrevista a O Liberal, a motorista contou que tudo começou após ela aceitar uma corrida no bairro do Castanheira, por volta das 11h. "Eu cheguei no endereço, aceitei a corrida, só que o passageiro demorou cinco minutos, aí eu cancelei pra não ter que pagar a taxa, se não eu que teria que pagar, aí fui embora", disse.

"Aí depois eu tava trabalhando e começou a chegar no meu Whatsapp e nos grupos que eu teria cometido um assalto, e eles compartilhando a minha foto, áudios mentirosos. Aí eu vim na seccional pra esclarecer e me defender, porque isso não é verdade, criaram essa história totalmente sem pé nem cabeça", relatou Pamela.

Depois de registrar o boletim, a motorista foi até o endereço onde recusou a corrida. Ela falou com a moradora da residência, identificada como Francisca, que disse que tudo não passou de um mal entendido e que ela teria feito um comentário sobre a recusa com o outro motorista, que aceitou a corrida em seguida, e que o mesmo entendeu errado e começou a compartilhar as inverdades nos grupos. 

VEJA MAIS

Motorista de aplicativo é morto durante corrida em Bragança De acordo com algumas testemunhas que falaram com a PM, um homem e uma mulher seriam os assassinos

Adolescente é estuprada durante corrida de aplicativo Motorista pegou uma rota diferente do que havia sido solicitado

"Quando o meu neto pediu o uber e ela chegou aqui, eu achei estranho porque vinha um caminhão daqui e outro dali, aí ela rapidinho foi embora. Aí quando ela cancelou, ele pediu outro, aí eu falei pro rapaz e ele disse que quando acontecesse algo assim eu não deveria entrar no carro. Aí foi isso, não passou de um mal entendido", afirmou Francisca.

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA