Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

VÍDEO: Jovem agredido por três homens em Salinópolis deixa a UTI; família suspeita de homofobia

Família diz que Fábio Raiol foi violentado sexualmente

O Liberal

Fábio Raiol de 27 anos, segue internado no Hospital Metropolitano de Urgência Emergência (HMUE), em Ananindeua, após ser brutalmente agredido em um caso com suspeita de homofobia em Salinópolis, litoral nordeste paraense. Ele deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas segue internado na unidade. Segundo a família, além de agredido violentamente e ser deixado para morrer, rapaz ainda foi violentado sexualmente e roubado.

Segundo Charles Raiol, irmão da vítima, o crime foi no domingo, 25, no município litorâneo. Depois de voltar da igreja, Fábio teria recebido uma mensagem de alguém e foi ao encontro dessa pessoa. "Chegando lá, tinha mais dois suspeitos. Levaram ele para uma área mais escura, espancaram ele, roubaram, deixaram ele desacordado. Estupraram meu irmão", disse Charles, emocionado, em um vídeo. Ainda de acordo com o irmão da vítima, o estado dele ainda é bastante delicado, e Fábio não consegue falar e nem abrir os olhos ainda. 

VEJA MAIS

Homofobia: homem é dopado, cortado e tem suástica desenhada no corpo 'Na próxima você morre', escreveram os criminosos no corpo do homem; polícia investiga hipótese de homofobia

Sikêra Jr. e emissora de TV terão que pagar R$ 10 milhões em multa por homofobia A ação do MPF também propõe a exclusão do programa que foi dita as falas polêmicas

Em nota, a Polícia Civil informou que instaurou um Inquérito Policial para apurar o caso tratado como lesão corporal, e que já ouviu testemunhas. "Segundo as apurações preliminares, o caso tem relação com o desentendimento entre a vítima e o agressor que já foi identificado, mas ainda não foi localizado. Até o momento, não há ligação com o crime de homofobia", diz o comunicado.

Ainda no vídeo divulgado, Charles Raiol discordou da posição da Polícia Civil. "Tentaram amenizar a situação, [dizendo que] foi só agressão física. Não foi agressão, foi tentativa de homicídio, homofobia, assalto e estupro", disse o homem. "A gente quer justiça. Isso não vai ficar impune", declarou.

Como o preconceito afeta o atleta e quais ações já existem para coibir a homofobia no esporte Em alusão ao Dia Internacional do Orgulho LGBT, O Liberal conversa com entidades e atletas que buscam descontruir o preconceito em estádios e agremiações

Durante festa, Rodolffo fala sobre machismo, racismo e homofobia Pocah, com quem o sertanejo conversava, lembrou da matança de LGBTs no Brasil

 As investigações continuam no intuito de elucidar o crime. A Polícia Civil pede que qualquer informação que possa ajudar na localização do autor dos crime seja repassada às autoridades via Disque-Denúncia (181), Centro Integrado de Operações - Ciop (190) ou pelo Whatsapp da atendente virtual Iara: (91) 98115-9181. As ligações são gratuitas e o sigilo é garantido.

Palavras-chave

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA