Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Veja 4 mudanças que podem ocorrer caso a Grande Belém passe para a bandeira vermelha

Medidas mais restritivas serão anunciadas ainda hoje (2) pelo governo Estadual

Redação Integrada

A Prefeitura de Belém e o Governo do Estado informaram, na noite da segunda-feira (1º), que novas medidas serão adotadas para conter a propagação do novo coronavírus na Região Metropolitana de Belém. Em comunicado publicado nas redes sociais, a gestão Edmilson Rodrigues (Psol) destacou “a situação agravada da pandemia na região”. O anúncio será feito em coletiva conjunta, às 19h30 de hoje (2).

LEIA TAMBÉM:

Hospital de Campanha abre mais 50 leitos clínicos em Belém

Atualmente, todas as regiões do Pará, exceto o Baixo Amazonas, estão no bandeiramento laranja. O sistema de classificação de risco do governo estadual permite, ainda, dois estágios mais avançados de restrições: vermelho e preto. É neste último que é decretado o lockdown, bloqueio total de atividades consideradas não-essenciais e restrição na circulação de pessoas.

Vale lembrar que o bandeiramento é escolhido de acordo com a lotação dos leitos disponíveis na região. Hoje, em Belém, a taxa de ocupação de leitos nos hospitais particulares de Belém está acima de 90%No bandeiramento vermelho, é considerado alerta máximo de contaminação, quando a capacidade hospitalar está em risco de saturação. O Baixo Amazonas já está nesse nível.

Veja 4 mudanças que podem ocorrer caso toda a Grande Belém passe para bandeira vermelha:

1. Atividades públicas e privadas, eventos religiosos e demais reuniões devem funcionar com limite de no máximo dez pessoas, respeitando-se a distância mínima de 1,5 metro, com obrigatoriedade do uso de máscaras e fornecimento de água e sabão e/ou álcool em gel para higienização;

2. Os estabelecimentos de serviços essenciais, como supermercados, comércios de alimentos, farmácias e bancos, devem permitir a entrada de apenas um membro por família, que pode estar acompanhado por criança pequena, respeitando-se a lotação máxima de 50% da capacidade do local e adotar esquema de atendimento especial para pessoas em grupo de risco. Recomenda-se, ainda, que caixas devem ser ocupadas de maneira intercalada; 

3. Fechamento de shoppings; salões de beleza, clínicas de estética e barbearias; canteiro de obras e estabelecimentos de comércio e serviços não essenciais; escritórios de apoio administrativo, serviços financeiros, serviços de seguros e outros serviços afins, excetuando os consultórios médicos e de assistência à saúde em geral; academias de ginástica; bares, restaurantes, casas noturnas e estabelecimentos similares; atividades imobiliárias; agências de viagem e turismo; praias, igarapés, balneários, clubes e estabelecimentos similares;

4. O serviço de delivery relativo às atividades essenciais fica autorizado a funcionar sem restrição de horário.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ