Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Urina Preta: Paciente do Pará morre com suspeita de síndrome de Haff após consumo de Pacu

Outros três casos suspeitos foram notificados e estão sendo investigados

Ândria Almeida/ O Liberal

O Pará registra quatro casos suspeitos da síndrome de Haff - urina preta - no ano de 2022, sendo três no município de Óbidos, segundo a Secretaria de Saúde do Estado (Sespa). Ainda de acordo a Sespa, um paciente com comorbidades morreu com suspeita da doença no município de Óbidos. Na sexta-feira (24) a equipe da vigilância epidemiológica da cidade notificou três pessoas que fizeram o consumo da espécie Pacu.

 Os três pacientes com suspeita da síndrome de Haff em Óbidos são da mesma família, sendo pai, mãe e uma filha. A esposa e o esposo foram transferidos para atendimento em Santarém, onde o homem não resistiu e evolui a óbito na última sexta-feira (24). A esposa  já recebeu alta médica e retornou para Óbidos.

De acordo com informações da Sespa, os três pacientes notificados são residentes da zona rural do município de Óbidos e apresentaram sintomas clínicos de dor muscular intensa, abdominal e urina escura após o consumo de peixe típico da região - PACU.

A Sespa disse ainda que no ano de 2021 foram confirmados 25 casos compatíveis com doença de Haff no estado, já em 2022, existem quatro casos que estão em investigação.

VEJA MAIS 

Pará investiga 10 casos de doença da urina preta
Santarém foi o município com o registro mais recente

Pará investiga 13 casos de doença da 'Urina Preta'
O levantamento é da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa)

Jovem com ‘doença da urina preta’ deixa a UTI
Kelly passou mal depois de comer prato com peixes

UFPA traz orientações sobre consumo de peixes e urina preta
A doença da urina preta ainda requer estudos e análises de casos suspeitos. A UFPA se une à força-tarefa para pesquisar a doença

Alerta epidemiológico

A prefeitura de Óbidos recomendou na última sexta-feira ,25, a suspensão temporária do consumo dos peixes pirapitinga, tambaqui e pacu.

“O município de Óbidos, até o momento, registra 3 casos suspeitos e nenhum confirmado. Ressaltamos que os referidos casos seguem em processo de investigação epidemiológica e tão breve tenhamos um resultado, informaremos a população. Diante do risco de ocorrência em nosso município a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Divisão de Vigilância em Saúde, recomenda a não ingestão de pescado das espécies: pirapitinga (Piaractus brachypomus), tambaqui (Colossoma macropomum) e pacu (Piaractus mesopotamicus)", diz a nota

O alerta trouxe orientações aos profissionais da saúde quanto à identificação dos sintomas para diagnóstico precoce da doença, bem como orientação à população.“Orientamos a população que caso apresentem sintomas como: fraqueza, dor muscular, dor de cabeça, dormência, urina escura, iniciados de 2 a 12 horas após o consumo de peixe, que busque imediatamente atendimento médico", conclui a nota da Prefeitura de Óbidos.

Palavras-chave

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ