CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Urina Preta: Breves registra três casos suspeitos de Síndrome de Half

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Breves, dos três casos suspeitos da doença, dois são da mesma família

O Liberal
fonte

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Breves, no Marajó, divulgou no final da manhã desta terça-feira (30) que três pessoas estão sendo investigadas com suspeita de conterem a Síndrome de Half, conhecida popularmente como doença da “urina preta”. De acordo com o comunicado, entre os casos, duas pessoas são da mesma família e todas sentiram os sintomas da enfermidade depois de comerem o peixe da espécie Pacu, comprado na feira da cidade. A Semsa pediu que as pessoas que sentirem os sintomas procurem os estabelecimentos de saúde. 

VEJA MAIS

image Lancha tem princípio de incêndio e passageiros entram em pânico no Pará; vídeo
As imagens feitas por passageiros mostram a agonia para sair da embarcação após uma pane na lancha

image Urina preta: Monte Alegre registra um caso suspeito de síndrome de Haff
A prefeitura do município recomenda que a população evite o consumo das espécies Pirapitanga, Pacu e Tambaqui

image Urina Preta: Paciente do Pará morre com suspeita de síndrome de Haff após consumo de Pacu
Outros três casos suspeitos foram notificados e estão sendo investigados

Confira a nota na íntegra:

"A Secretaria Municipal de Saúde informa que o município de Breves possui três pessoas com suspeita de Síndrome de Half – Urina Preta. Conforme investigação epidemiológica foi constatado que os três casos, sendo dois da mesma família, são de usuário residente do meio urbano e que apresentaram os seguintes sinais e sintomas: dor generalizada, enjoo, dor de cabeça, vômito e urina preta após consumirem pescado da espécie PACU, comprados na Feira Livre Municipal. Os usuários estão em acompanhamento clínico. 

Informamos, ainda, que não é possível saber se o peixe está ou não contaminado com a toxina, porque ela não tem cheiro, cor e nem sabor. A toxina não altera o sabor do peixe. Nenhum meio de preparo (cozinhar, fritar, assar, etc) pode matar a toxina, pois ela é resistente ao calor. É importante evitar o consumo das espécies PACU, TAMBAQUI, ARABAIANA OU PIRAPITINGA. 

A Vigilância Epidemiológica e Sanitária está realizando fiscalização e investigação do ocorrido. Se apresentar sintomas da Síndromes de Half procure um estabelecimento de saúde”, diz o alerta sanitário. 

Em nota, a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) informou que que até o momento foram notificados 12 casos suspeitos da doença em todo o estado. "A Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) informa que foi notificada sobre três casos suspeitos de Doença de Haff em Breves, que estão sendo investigados pela Vigilância Epidemiológica do município e pelo 8º Centro Regional de Saúde.  A Secretaria informa, ainda, que até o momento foram notificados 12 casos suspeitos da doença em todo o estado, sendo 03 casos compatíveis com a doença, 04 casos estão sendo investigados e 05 foram descartados. Por fim, a Sespa informa que o diagnóstico de Síndrome de Haff é feito por exclusão de possibilidades e pelos sintomas apresentados pelo paciente, não sendo possível sua confirmação através de exames", diz o comunicado da Sespa.

O que é a doença da urina preta?

A doença da urina preta ou Doença de Haff é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados peixes como tambaqui, o badejo e a arabaiana ou crustáceos (lagosta, lagostim e camarão). Se não for armazenado adequadamente, o peixe cria uma toxina sem cheiro e sabor.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Pará
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ