Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

UFPA cobra 'completa apuração' da morte de indigenista e jornalista inglês

A instituição manifestou indignação diante do assassinato de Dom Phillips e Bruno Pereira e se solidarizou com familiares e amigos das vítimas

Fernando Assunção

A Universidade Federal do Pará (UFPA), por meio de nota oficial, manifestou indignação diante do assassinato do ingenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips e se solidarizou com familiares e amigos das vítimas, inclusive a companheira de Bruno, a professora de Ciências Sociais da intituição, Beatriz Matos. 

VEJA MAIS

Restos mortais de jornalista e indigenista chegam em Brasília
A aeronave que transportou os cadáveres de Dom Phillips e Bruno Araújo Pereira chegou no aeroporto do Distrito Federal por volta das 18h30. Exames para a identificação iniciam nesta sexta-feira (17)

Vídeo mostra indigenista Bruno Pereira cantando na floresta
Imagem foi publicada pelo conselheiro indígena de Roraima, Enock Taurepang. Bruno e o jornalista inglês Dom Phillips desapareceram na Amazônia, há oito dias

Suspeito teria seguido com espingarda indigenista e jornalista, segundo testemunha
Ele teria sido visto carregando uma espingarda e fazendo um cinto de munições pouco depois que a dupla deixou a comunidade

Eles desapareceram no último dia 5 de junho, no Vale do Javari, no Amazonas, quando se deslocavam da comunidade São Rafael rumo a Atalaia do Norte. Após dez dias de buscas, a Polícia Federal encontrou os corpos, com auxílio de indígenas e comunidade, na última quarta-feira, 15, seguindo as pistas da confissão de um dos suspeitos. O caso segue sendo investigado em sigilo.

Na nota emitida pela reitoria da UFPA e assinada pelo reitor Emmanuel Zagury Tourinho, a instituição cobra a “completa apuração dos fatos” e a “garantia da justiça”: “em respeito à memória e ao legado de Bruno Pereira e Dom Philips”, diz a nota.

Leia o comunicado na íntegra:

"A Reitoria da Universidade Federal do Pará vem manifestar seu pesar e indignação frente ao assassinato brutal do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Philips, bem como o repúdio às agressões recorrentes perpetradas contra os povos da Amazônia, com assassinatos de lideranças, invasões de terra, desmatamento e garimpagem ilegais, muitas vezes praticados sob a omissão permissiva de quem deveria garantir a segurança e os direitos das populações da região. A UFPA presta, também, sua solidariedade a Beatriz Matos, docente da Faculdade de Ciências Sociais, companheira de Bruno Pereira, e a todos(as) os(as) familiares e amigos(as) de Bruno e Dom. A instituição se junta aos que cobram a completa apuração dos fatos e a garantia de justiça, em respeito à memória e ao legado de Bruno Pereira e Dom Philips. Não podemos e não devemos tolerar a barbárie que avança na sociedade brasileira. Que nossos esforços possam convergir para fazer do Brasil uma sociedade democrática, justa e igualitária."

 
Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ