Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Governador atualiza medidas restritivas e decreta lockdown na Grande Belém

Restrição começa a partir da próxima segunda e dura uma semana, nos cinco municípios da região metropolitana

Redação integrada de O Liberal

Neste sábado (13), o governador do Pará, Helder Barbalho, decretou lockdown nos cinco municípios que compõem a Grande Belém (Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides e Santa Bárbara). A medida restritiva passará a valer às 21h de segunda-feira (15) e durará uma semana. Um pronunciamento foi feito neste início da noite, às 19h, ao lado de prefeitos, para atualizar as novas restrições que já estavam em vigor para a contenção da covid-19 na Região Metropolitana e em todo o Pará.

Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides e Santa Bárbara agora figuram em bandeiramento preto (lockdown), enquanto o restante do Pará segue no alerta vermelho. "Se continuarmos nesse caminho em que as coisas estão seguindo, logo mais teremos que voltar para dizer que não há mais leitos disponíveis para as pessoas de nosso Estado", disse Helder.

 

 

LEIA MAIS:
- Belém confirma esgotamento de leitos para covid e fechará PSM do Guamá
- Após decreto de lockdown, Parazão 2021 está suspenso a partir de segunda-feira

Cirurgias eletivas e atividades não essenciais suspensas


O governador do Pará alertou que a medida vale para sete dias, mas apenas inicialmente, pois necessitará de nova avaliação a ser feita, ao fim desse período, junto ao sistema público de saúde e ao cenário epidemiológico da região que abrange os cinco municípios da Grande Belém.

Citando que nesse período permanecerão mantidas apenas as atividades essenciais na região da Grande Belém, Helder Barbalho anunciou ainda suspensão de cirurgias eletivas, até o fim de março, para que a ocupação de leitos de hospitais no Pará seja dedicada a casos de covid-19.

 Entre as medidas que estão em vigor em todo o Pará, que segue em bandeiramento vermelho, está o toque de recolher, entre as 21h e 5h. Além disso, o Estado restringiu o horário de funcionamento de shoppings de 11h às 19h. Academias e cinemas também foram fechados. O comércio de rua também já havia mudado de horário, podendo funcionar apenas das 10h às 17h.

"A Região Metropolitana é a que tem maior densidade populacional, e a que vive agora a maior pressão em seu sistema de saúde. Por essa razão tomamos essas medidas, e pedimos que cada cidadão compreenda as razões do que temos que anunciar, entrando em estágio de bandeiramento preto, portanto em lockdown, nesses cinco municípios, a partir das 21h dessa próxima segunda-feira", detalhou o governador. 

"Se continuarmos nesse caminho em que as coisas estão seguindo, logo mais teremos que voltar para dizer que não há mais leitos disponíveis para as pessoas de nosso Estado", disse Helder Barbalho

Com prefeitos, Helder decretou lockdown por uma semana, a partir de segunda-feira (Reprodução)

Medidas econômicas serão anunciadas


O governador do Pará disse que "medidas econômicas também serão anunciadas" nesta segunda-feira. O objetivo seria reduzir os impactos das novas medidas restritivas. Helder ainda confirmou que o Campeonato Paraense de Futebol também foi suspenso pelo novo bandeiramento na Região Metropolitana de Belém.

Lembrando o saldo de 9.329 mortes por covid-19 já registradas até este sábado (13) no Pará, pedindo união e bênçãos frente ao cenário da pandemia, e também que os paraenses tenham compreensão, Helder agradeceu a união dos prefeitos da Grande Belém junto às novas medidas restritivas.

"Não podemos deixar que este número [de mortes] aumente, que o nosso sistema de saúde colapse, e que possamos ter aqui no Estado o que já está acontecendo em outras unidades do Brasil, onde centenas de pessoas estão aguardando por um leito e perdendo a vida sem ter assistência", lembrou o governador.

"Não podemos deixar que este número [de mortes] aumente, que o nosso sistema de saúde colapse, e que possamos ter aqui no Estado o que já está acontecendo em outras unidades do Brasil, onde centenas de pessoas estão aguardando por um leito e perdendo a vida sem ter assistência", disse o governador

Oferta de leitos está sob pressão


Helder Barbalho reforçou que, nos últimos dias, a rede pública e até a saúde privada dos municípios da Grande Belém seguem sob forte pressão. "Hospitais privados e planos de saúde também não estão mais conseguindo atender seus associados", lembrou o governador. "Continuaremos abrindo leitos para assegurar atendimento. Estaremos ampliando os leitos clínicos e de UTI no Hospital Abelardo Santos [de Icoaraci], para que ele faça apenas o atendimento da covid-19, e também estamos abrindo leitos em hospitais, entre eles o Galileu e o Jean Bittar". 

 "Além da saúde pública, hospitais privados e planos de saúde também não estão mais conseguindo atender seus associados", lembrou o governador. "Continuaremos abrindo leitos para assegurar atendimento"

Mais cedo, Helder havia confirmado que o Estado abriu, este sábado (13), mais 25 leitos de UTI e 25 leitos clínicos para atendimento de pacientes com covid-19 no Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci.

 

 

"Todas essas medidas foram feitas para que nós evitássemos o colapso, mas o vírus continua circulando e o sistema de saúde da Região Metropolitana corre o risco de não conseguir mais atender as pessoas", justificou o governador. "Estamos todos os dias aumentando a oferta de leitos no Estado, e mesmo assim não estamos mais conseguindo reduzir as taxas de ocupação". 

"Todas essas medidas foram feitas para que nós evitássemos o colapso, mas o vírus continua circulando e o sistema de saúde da Região Metropolitana corre o risco de não conseguir mais atender as pessoas", justificou Helder

Belém confirmou colapso na oferta de leitos


Pela manhã deste mesmo sábado(13), o secretário Maurício Bezerra, titular da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), confirmou, em entrevista dada na manhã deste sábado (13), à TV Liberal, que a capital paraense alcançou 110% de ocupação dos leitos clínicos administrados pela prefeitura de Belém para o atendimento à covid-19.

Nas UTIs municipais, o índice chegou a 94% de ocupação dos leitos. Isso fará com que o PSM do Guamá seja fechado já nesta segunda-feira (15), para que possa atender exclusivamente casos de covid-19, disse o titular da Sesma.

Neste sábado o governo confirmou que o Pará está com taxa geral de ocupação de leitos clínicos para a covid-19 em 65%. A ocupação dos leitos de UTI para pacientes com o coronavírus está em 83,6%.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ