Doação de sangue: Hemopa inicia campanha para evitar esvaziamento de postos de coleta no fim de ano

Uma única doação pode ajudar a salvar até quatro vidas, diz assistente social de captação de doadores do Hemopa

Camila Guimarães

A campanha de incentivo à doação de sangue da Fundação Hemopa começou nesta quarta-feira, 14, com o tema “Neste Natal, o melhor amigo oculto é o que doa sangue e salva vidas”, que busca fortalecer o estoque de sangue que abastece mais de 200 hospitais públicos e particulares no Pará. No momento, a Fundação diz ainda usufruir do saldo positivo da campanha feita no mês passado, pela Semana do Doador, mas acredita ser importante o incentivo uma vez que a demanda é constante.

VEJA MAIS

image Saiba como aproveitar frutas da época chuvosa para manter a saúde
Preços desses produtos tendem a baixar diante do aumento da safra nesse período do ano

image Dia Nacional do Doador de Sangue tem meta superada em 56% de coletas no Hemopa
Mais de 1,5 mil paciente serão beneficiados com a quantidade alcançada durante o ato de solidariedade

image Anemia falciforme: especialista destaca a importância do teste do pezinho para detectar a doença
Nesta quinta-feira (27) é o Dia Nacional de Luta pelos Direitos da Pessoa com Doença Falciforme

A assistente social da captação de doadores do Hemopa, Lilian Bouth, comenta que, este mês, é muito comum o esvaziamento dos postos de coleta devido às festas de Natal e Réveillon, período que também coincide com o tempo mais chuvoso, considerado de risco para gripes e viroses, o que também afasta doadores:

“Essa campanha vem incentivar a população a doar nesse momento que é um momento festivo. A gente está propondo que você coloque na lista dos seus afazeres neste mês de dezembro a doação de sangue. Se você, hoje, está bem de saúde e cumpre com os critérios para doar, compareça ao Hemopa e seja o presente de Natal de alguém que precisa”, incentiva.

Lilian explica que toda pessoa interessada em colaborar com o estoque do Hemopa pode se dirigir a qualquer um dos postos de coleta para passar por uma triagem, momento em que será avaliada a sua condição de saúde para a doação.

 "A doação é rápida, segura, não causa nenhum mal à saúde de quem está doando", destaca Lilian Bouth.

"Mesmo que a pessoa se informe e avalie que se enquadra nos critérios de doador, ela sempre vai passar por uma avaliação para ter certeza de que ela pode doar naquele dia. Em média, são retirados 450ml de sangue do doador, o que corresponde a menos de 5% do sangue total que a pessoa tem no organismo, então isso não prejudica a saúde do doador”, explica a assistente social.

image A doadora Nazaré da Silva tem 61 anos e pretende continuar praticando esse gesto de amor ao próximo enquanto puder. (Ivan Duarte / O Liberal)

Doadores comparecem no primeiro dia de campanha

Além de ser indolor e não acarretar nenhum mal, uma única doação de sangue pode salvar até quatro vidas, garante Lilian Bouth. É pensando nesse grande potencial que a doadora Nazaré Silva, de 61 anos de idade, se motiva para comparecer ao posto de coleta, periodicamente, nos últimos quatro anos:

“Eu vim pela primeira vez em 2018, com uma amiga, mas acabei gostando da ideia e doei sangue pela primeira vez. Acabou sendo uma satisfação, afinal, uma doação já pode salvar várias vidas. Eu fico agoniada quando eu não consigo vim logo. Como hoje eu tive uma oportunidade, eu vim. Pretendo doar até quando puder”, afirma.

image José Augusto tem 57 anos e doa sangue há 10. (Ivan Duarte / O Liberal)

Quem também já é doador de carteirinha é o motorista José Augusto, de 57 anos. Ele conta que já pratica esse gesto de solidariedade há 10 anos e diz que sente uma satisfação pessoal em poder colaborar com o próximo:

“O benefício não é só meu, é para todas as pessoas. Assim como qualquer pessoa um dia pode precisar – pode ser meu filho, alguém da minha família, então é importante colaborar. Eu passei algum tempo sem doar e decidi aproveitar a oportunidade hoje. A sensação é ótima de saber que estou ajudando muitas pessoas. Pretendo continuar doando até quando eu puder, me alimentando bem, jogando meu futebol e mantendo minha saúde para sempre poder doar”, garante.

No primeiro dia da campanha de fim de ano, quem aproveitou a chance para doar sangue pela primeira vez foi o estudante universitário Erick da Silva, de 20 anos. Ele compareceu ao hemocentro para doar sangue para o professor de física, que está em tratamento contra um câncer raro:

“Eu aproveitei a oportunidade para experimentar a doação. Quando eu era mais novo, eu já pensava em ser doador, mas não tinha idade ainda. Depois veio a pandemia e foi um tempo que eu fiquei mais em casa e decidi não doar. Mas agora pretendo doar mais vezes”.

Confira os critérios para ser doador

  • Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos precisam estar acompanhados de responsável legal);
  • Ter mais de 50 quilos;
  • Estar bem alimentado (não pode estar em jejum);
  • Dormir pelo menos 6 horas nas 24 h anteriores à doação;
  • Não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes da doação;
  • Ter intervalo entre doações de dois meses para homens e três meses para mulheres;
  • Quem se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue, sendo necessário um intervalo de dois dias após cada dose para quem recebeu a vacina Coronavac, e sete dias para quem recebeu as demais vacinas.

Endereços das unidades da Fundação Hemopa em Belém:

Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 10 às 16h30. Mais informações pelo 0800 280 8118.

Nos dias 24/12 e 31/12, os postos de coleta funcionarão até 14h.

Pará
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ