Candidato a chefe do Ibama se compromete em áudio a "auxiliar" produtores rurais

"O meio ambiente vai andar de braços dados com o agronegócio", declarou

Redação Integrada

"O meio ambiente vai andar de braços dados com o agronegócio". A frase polêmica, divulgada nesta sexta-feira (4), por meio de áudio no whatsapp, é de Everaldo Eguchi, delegado federal e candidato a assumir o cargo de chefe do Ibama no Pará. As informações são de Cleide Carvalho, do jornal O Globo.

Ao longo do áudio, Eguchi se compromete a não atrapalhar produtores rurais caso assuma o Instituto. Ouça.

Ele afirma que o Ibama vai agir de acordo com a lei, mas de forma que não atrapalhe os produtores rurais, ou de outros ramos, como minério, madeira e pesca.

"O Ibama vai agir de acordo com a lei, mas a lei pode ser interpretada para prejudicar, ou para não prejudicar o produtor. E nós vamos utilizar a lei para ser usada de forma que não prejudique a produção", diz Eguchi para depois complementar: "E o Pará vai se trensformar no maior produtor agropecuário do Brasil. Se Deus quiser".

O delegado federal Eguchi foi candidato a deputado federal pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, conquistando 52.393 votos no Pará, mas não foi eleito. Na propaganda eleitoral ele se apresentava como ex-advogado ambiental que atuou para várias empresas do setor madeireiro e do agronegócio antes de ingressar na Polícia Federal, onde atuou na repressão a crimes ambientais. 

Confira trechos do áudio de Eguchi:

Perguntado o que ele quis dizer sobre interpretar a lei para não prejudicar o produtor, Eguchi afirmou que quando há uma fiscalização é possível aplicar as penalidades com graduação.

"Para quem é autuado pela primeira vez, é possível ter apenas uma advertência, uma suspensão. Mas o Ibama nunca faz. Usa sempre a graduação máxima e bloqueia a fazenda toda. O produtor é que tem que provar que houve erro na fiscalização", disse o delegado.

Eguchi disse que, se é localizado um problema numa área de 100 hectares, não é preciso bloquear os 10 mil hectares de produção, apenas o pedaço onde foi encontrada a irregularidade.

"Se teve irregularidade de um metro cúbico, bloqueia toda a produção. Não deu para explicar tudo no áudio. A repercussão entre quem conhece o problema foi positiva. O Ibama pratica crimes, atira com fuzil 762 contra caminhão, coloca fogo em caminhão e ninguém fala nada. Esse tipo de atuação que queremos eliminar. Eles estão abusando. Fui direto, falei para quem está sendo prejudicado. Isso não quer dizer que vou ajudar ninguém. Não vou é atrapalhar". 

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ