Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Girafa com anormalidade nas patas sobrevive graças a órtoses feitas por equipe de zoo

A girafa foi diagnosticada com hiperextensão do carpo, uma anormalidade nos ossos que equivale ao pulso humano

Paula Figueiredo

Com problemas nas patas desde que nasceu, uma girafa de três meses conseguiu voltar a andar graças a ajuda de profissionais do Zoológico e Safari Park de San Diego, na Califórnia, nos Estados Unidos. Nomeada de Msituni, o animal foi diagnosticado com hiperextensão do carpo, uma anormalidade nos ossos que equivale ao pulso humano. 

VEJA MAIS

Gatinho ucraniano recebe prêmio de 'Maior Influencer do Mundo'
Stepan, como é conhecido, compareceu ao evento todo produzido e posou para as fotos ao lado de outros influenciadores

Gatinho faz sucesso ao virar funcionário de empresa, mas é acusado de dormir no trabalho
No local, ele corre pelos corredores, dorme por onde pode e sobe pela mesa dos funcionários, sempre fiscalizando se estão fazendo o trabalho correto

Entre as dificuldades que Msituni apresentava desde seu nascimento estavam a impossibilidade de ficar em pé, dobrar as patas e o baixo peso. A girafa nasceu no último dia 1 de fevereiro com 1,50m de altura e um peso de 45kg, considerado muito inferior ao normal, que é 70 kg. Com a ajuda do Zoo, uma organização internacional sem fins lucrativos, e do Hanger Clinic, que possui 875 clínicas especializadas em cuidados ortopédicos e protéticos, a qualidade de vida da girafinha pode ser melhorada. Ela ganhou aparelhos ortopédicos de grafite de carbono, moldados sob medida, para conseguir se locomover. Uma das patas pôde ser corrigida com o uso de um colete médico.

Adaptação e rejeição

Msituni testando as órtoses. (Foto: San Diego Zoo Safari Park / Divulgação)

 O processo de adaptação durou cerca de 39 dias e, depois disso, Msituni foi levada para a mãe, que a rejeitou. No entanto, ela foi aceita por outra girafa que também havia dado à luz. Agora, Msituni bebe três mamadeiras de leite por dia, que são cruciais para seu desenvolvimento natural. "Esta menina em crescimento beberá 10,5 litros de leite por dia até ter idade suficiente para pastar na vegetação com o resto do rebanho, quando atingir 9-12 meses de idade”, disse o zoo em postagem recente no Instagram, confira:

(Estagiária Paula Figueiredo, sob supervisão de Tainá Cavalcante, editora web de OLiberal.com)

Palavras-chave

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO