#if(!$m.request.preview.inPreviewMode)
CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X
#end

Defensoria pede que Justiça Federal condene X a pagar R$ 1 bilhão por danos morais e sociais

Para a DPU, as condutas do empresário Elon Musk, proprietário da rede social, "representam instrumentalização de plataformas digitais para fins ilícitos"

O Liberal
fonte

A Defensoria Pública da União (DPU) pediu nesta sexta-feira (19) que a Justiça Federal condene a plataforma X (antigo Twitter) a pagar R$ 1 bilhão em indenização por dano moral coletivo e danos sociais ao Brasil.

Para a DPU, as condutas do empresário Elon Musk, proprietário da rede social, "representam instrumentalização de plataformas digitais para fins ilícitos". "[O que aponta] para a grave responsabilidade das empresas e de seus gestores, indicando uma indução e participação em atividades criminosas que atentam contra o tecido democrático da nação", diz a ação.

VEJA MAIS

image Deputados dos EUA divulgam decisões sigilosas do STF removendo perfis de rede social
Relatório foi divulgado na noite de quarta-feira (17/04). STF defendeu legalidade das ações nesta quinta (18/04). 

[[(standard.Article) Milei se reúne com Elon Musk nos EUA e garante apoio frente aos processos com a Justiça brasileira ]]

image Manifestações de Musk contra Moraes repercute entre políticos paraenses
Dono do X (atingo twitter) fez várias postagens nos últimos dias. No Pará, parlamentares manifestaram suas opiniões.

No início do mês, Musk passou a fazer ataques ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), em razão de decisões que determinaram a remoção de conteúdo e o bloqueio de contas de investigados pela Corte.

As postagens que foram alvo de decisões do STF envolvem crimes como discurso de ódio, defesa de golpe de estado e ataques sem provas ao sistema eleitoral.

Em publicações no X, Musk ameaçou não cumprir decisões da justiça brasileira e passou a ser investigado no Supremo.

Mais medidas

Além de solicitar a indenização, a DPU pede que a Justiça determine ao X a adoção de uma série de medidas como:

  • práticas de moderação de conteúdo em conformidade com os direitos à liberdade de expressão e informação, removendo conteúdos ilegais ou que promovam desobediência a decisões judiciais;
  • criação de sistema eficaz de cooperação com autoridades judiciais para garantir respostas rápidas a ordens judiciais e requisições legais;
  • publicação de relatórios periódicos detalhando as ações tomadas para cumprir ordens judiciais e a moderação de conteúdo;
  • contratação de entidades independentes para realizar auditorias regulares nas práticas da empresa.
Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO