Walter Lima critica técnico do Remo após entrevista: "Acusar um outro profissional não dá"

Técnico do Tapajós disse que o treinador azulino poderia ter avaliado o trabalho dele à frente da equipe e não do seu antecessor.

Fábio Will

Remo e Tapajós empataram em 0 a 0 pelo Parazão, na noite de ontem (7)no Colosso do Tapajós, em Santarém. O Leão somou um ponto na luta para garantir a classificação para a semifinal no grupo A1, já que o time azulino é líder com 14 pontos. Mas a entrevista do técnico do Remo, Márcio Fernandes, após o jogo, não agradou o treinador do Tapajós, Walter Lima, que criticou o treinador.

LEIA MAIS

Após empate com o Tapajós, técnico avalia o Remo: "É preocupante. Poderia ter sido pior"

Walter Lima postou no Facebook que teve dificuldades com o plantel reduzido do Tapajós, mas que com tudo isso o time evoluiu, criou oportunidades e que recebeu do antigo técnico, Flávio Barros, uma equipe que sempre fez bons jogos. No final da postagem, Waltinho contou que criticar o trabalho de treinadores que passaram por equipes confirma que a profissão de técnico de futebol é desunida e egoísta.

“Fizemos um bom jogo contra o Remo, mesmo com dificuldades com o plantel reduzido e sem número suficientes para fazer alguns treinamentos. Mesmo assim o time teve posse de bola, teve evolução nas bolas paradas e que faltou sorte. Esse negócio de acusar o treinador que passou e seu trabalho como alguns fazem e vi ontem, só me remete a confirmar que essa profissão é de desunião e egoísmo, cada um justificando e acusando”, postou.

 

A equipe de OLiberal conversou com Walter Lima que confirmou que as críticas foram direcionadas ao técnico do Remo, Márcio Fernandes.

“Eu falei isso porque eu ouvi a entrevista do técnico do Remo, onde ele disse que o time dele morreu e que não tinha preparo físico, que a equipe cansou e que no segundo tempo ele fez três substituições e ele tinha mais três ou quatro para sair também. Falo isso em relação aos que saíram de lá. Se ele pegou o time agora, não possui o menor respeito de falar dessa maneira? Ele está falando do trabalho dos outros e não do dele. Ele foi de certa forma incisivo e com expressão de raiva em relação ao que estavam lá e realizaram o trabalho. Por isso que eu digo que não existe respeito, não existe nada. Um está trabalhando e o outro fica mexendo os ‘pauzinhos’ para tirar quem está comandando. Eu estou fora desse contexto”, conto.

VEJA TAMBÉM

Por que o Remo só sentiu agora um déficit físico tão abissal? Ouça a análise!

O treinado do Tapajós, Walter Lima, disse que falta entre os profissionais mais respeito e ética no meio dos treinadores de futebol.

“Você acusar uma outra pessoa, um outro profissional isso não dá. Isso não para ficar só ouvindo e achando que está tudo bem. Vou mudar esse contexto? Não, mas achei que foi uma coisa desproporcional com as pessoas que estavam trabalhando no Remo há dez dias”, disse.

ENTENDA O CASO

Após o jogo contra o Tapajós, o técnico do Remo, Márcio Fernandes, deu uma entrevista coletiva criticando a preparação física dos atletas, além da falta de reação do conjunto remista na partida. Márcio disse que os jogadores tiveram uma degradação muito grande até chegar até o momento vivido pelo time

A equipe de OLiberal entrou em contato com a assessoria de imprensa do Remo, mas até o momento não obteve retorno.

Esportes