Nocaute na Violência lança edição Gold com 23 lutas e combate internacional

O lançamento oficial do evento foi realizado nesta sexta-feira, no bairro da Cidade Velha, com a presença de atletas, apoiadores e patrocinadores

Luiz Guilherme Ramos
fonte

Um dos eventos mais robustos do esporte amador paraense volta à cena no próximo dia 27 de junho, para a edição Gold, que celebra 50 edições do projeto Nocaute na Violência, voltado para o incentivo ao esporte através da nobre arte do boxe. Na manhã desta sexta-feira (7), houve o lançamento oficial em um café da manhã reunindo atletas, patrocinadores e apoiadores em um restaurante no bairro da Cidade Velha. 

Com 12 anos de história, o Nocaute na Violência nasceu no intuito de fortalecer o cenário estadual do esporte, reunindo academias de todas as origens em um evento aberto ao povo, que contribui de forma simbólica com a doação de alimentos. Esse ciclo de esporte e humanidade opera uma engrenagem solidária que ajuda quem mais precisa e fortalece, assim, a descoberta de novos talentos. 

VEJA MAIS

image Nocaute na Violência realiza a 49ª edição com várias lutas e entrada gratuita
O tradicional evento esportivo tem mais de 10 anos e já revelou dezenas de talentos para o boxe paraense

image 48ª edição do Nocaute na Violência terá 25 lutas, disputa de cinturão e combate internacional
Na próxima segunda-feira (26) haverá a pesagem oficial dos atletas e no dia seguinte (27), o boxe vai correr solto a partir das 17 horas

image Com presença de Popó, Nocaute na Violência chega a 44ª edição e realiza pesagem nesta quinta (11)
O evento terá 20 lutas entre amadores e profissionais, e será realizado no ginásio Serra Freire, na próxima sexta-feira (12), com entrada custando dois quilos de alimento não perecível

Desta vez, haverá 18 lutas amadoras e outras cinco profissionais, com destaque para os embates entre a brasileira Josiane Cardoso e a russa Alisa Saveleva, na categoria peso galo; além do embate na categoria super médio entre o baiano Iago Freitas, filho do ex-campeão Popó, e Michel Pereira. Participam desta edição academias do Pará, Maranhão e Santa Catarina. 

O diretor geral do evento, Zezé do Boxe, conta que o grande legado do Nocaute na Violência é a inclusão de jovens nas práticas esportivas e a formação de verdadeiros campeões no boxe e na vida. 

"O primeiro Nocaute na Violência foi em setembro de 2012, na Praça Batista Campos. Na ocasião foram quatro academias participando e 16 atletas. Hoje já contabilizamos 104 academias e 696 atletas que já passaram pelo evento. Daí surgiu o Willian Coutinho, atual Campeão Brasileiro, atletas que estão nas forças armadas, o Próprio Michael Douglas, que foi medalha de prata no Pan de 2023, entre vários outros", conta Zezé, que dirige o evento ao José Carlos, o Popular "Maizena", Junior Kibe, Paulo Romano, Ulisses Pereira e a Federação Paraense de Boxe Profissional e Amador.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Esportes
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ESPORTES

MAIS LIDAS EM ESPORTES