Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Mercado financeiro: 6 dicas para proteger seu dinheiro na guerra entre Rússia e Ucrânia

Existe a tendência de alta do dólar, o que vai afetar o custo de vida de todos

O Liberal

A guerra entre Rússia e Ucrânia vai mexer com o mercado financeiro e, por isso, os cidadãos também precisam ficar atentos com suas próprias finanças. Existe a tendência de alta do dólar, o que vai afetar o custo de vida de todos. Confira algumas dicas para não deixar seu patrimônio tão à mercê de conflitos como esse. As informações são do colunista Silvio Crespo, do UOL.

VEJA MAIS

Rússia volta a atacar Kiev, na Ucrânia, segundo agências internacionais; vídeo
Fortes explosões foram registradas e postadas nas redes sociais

Kiev aciona sirene de emergência e população busca refúgio em bunkers; vídeo
Além das condições climáticas desfavoráveis, abaixo de 10º C, o momento foi de correria e apreensão

Rússia x Ucrânia: Zelensky confirma 137 mortes; 316 pessoas estão feridas
Os números são oficiais, mas os socorristas continuam nas áreas atingidas - como Odessa - atrás de novas vítimas

  1. Evite tentação especulativa. Os movimentos de nações em guerra são imprevisíveis. Portanto, qualquer tentativa de prever o que vai ocorrer - com o conflito ou com o dólar - não é mais do que um chute.
  2. Ficar sem fazer nada também é ruim. Todos estão expostos às consequências financeiras de um conflito como esse. A alta do dólar eleva os preços de produtos como carne, café, combustíveis e outros. Se você investe em Tesouro Selic, por exemplo, é possível que a inflação suba mais rápido do que a sua rentabilidade.
  3. Pense na possibilidade de "dolarizar" parte do patrimônio, ou seja, investir em ativos sensíveis à variação do dólar. Se ocorrer uma crise que provoque uma alta significativa da moeda americana, parte do seu patrimônio vai se valorizar, enquanto a outra parte (a que não foi dolarizada) vai se desvalorizar. Porém, pode ser que não haja vantagem em comprar dólares diretamente ou mesmo em investir em fundos cambiais, solução que seria interessante para quem tem previsão de gastos significativos em dólar a curto ou médio prazo. Isso porque quando a moeda americana cair, suas aplicações vão cair também. Para dolarizar a carteira pensando em longo prazo, é preciso se expor não só à moeda americana, mas, sim, à economia internacional
  4. Expor investimentos à economia americana. Em vez de simplesmente se expor estritamente ao dólar, é possível se expor a empresas globais. É possível investir em ativos que representam um grande número de empresas. Dessa forma, você consegue diluir o seu risco.
  5. Quando dolarizar? Como não dá para adivinhar quando o dólar vai cair ou subir, não existe um momento em que se possa dizer, com certeza, que é hora de dolarizar. Por isso, uma das dicas é ir aos poucos. Hoje, é possível abrir conta nos EUA, enviar uma remessa e comprar ações diretamente na bolsa americana, para quem preferir.
  6. Atenção aos riscos, sempre, porque ao dolarizar os investimentos, você está entrando em renda variável. Portanto, seu patrimônio vai necessariamente variar para cima e para baixo diversas vezes. Antes de comprar qualquer um desses papéis, pense se, de fato, você acredita que eles tendem a crescer a longo prazo.

Palavras-chave

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA