Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Cinco supermercados são interditados em Ananindeua após fiscalização; veja a lista

Um estabelecimento na Cidade Nova foi totalmente interditado por descumprir normas sanitárias e não possuir licença de funcionamento

Fabrício Queiroz

Mais cinco supermercados foram interditados no município de Ananindeua. A interdição foi feita pela Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, Patrimônio Cultural, Habitação, Urbanismo, Consumidor, Fundações e Entidades de Interesse Social de Ananindeua, em ação conjunta com o Grupo de Apoio Técnico Interdisciplinar (GATI), do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), a Vigilância Sanitária e o Procon. 

VEJA MAIS

Fiscalização interdita áreas de dois supermercados de Ananindeua
Estabelecimentos estariam infringindo normas sanitárias no manuseio de carnes e peixes

MP ajuíza ação contra os supermercados Nazaré por irregularidades na venda de pescado
Medida visa cobrar o cumprimento das boas práticas higiênico-sanitárias envolvendo pescado

Restaurantes da Ilha do Combu recebem recomendação após constatação de problemas de higiene
O Ministério Publico do Estado do Pará (MPPA) instaurou procedimentos administrativos nesta sexta-feira (1), para acompanhar o cumprimento de Boas Práticas higiênico-sanitárias dos alimentos vendidos nos estabelecimentos

O objetivo das ações realizadas nos dias 30 de junho e 1º de julho era verificar o cumprimento de normas sanitárias e a obediência à legislação consumerista. Na semana anterior, outros dois supermercados já haviam tido seus setores de carnes e pescados interditados.

A situação mais grave foi detectada no Supermercado Cidade, localizado na Cidade Nova, onde foi determinada a interdição total do estabelecimento. De acordo com o relatório do MPPA, no local havia embalagens de alimentos violadas e com fezes de baratas e roedores; equipamentos de refrigeração inadequados, sujos e sem controle de temperatura; áreas de manipulação de alimentos sem condições sanitárias; produtos vencidos na área de venda e no estoque; infraestrutura em estado precário; produtos sem identificação de procedência, entre outras irregularidades.

Além disso, o supermercado estava sem licença da vigilância sanitária desde 2021, sem licença de operação da secretaria de meio ambiente, sem licença do habite-se, emitida pelo Corpo de Bombeiros, sem certificado de controle de pragas, sem laudo de análise físico-química e bacteriológica da água e sem certificado de limpeza do reservatório de água. A gerência do Supermercado Cidade informou que os advogados da empresa estão acompanhando o caso e que o local deve reabrir nesta terça-feira, 5.

VEJA MAIS 

Ministério Público acompanha práticas higiênico-sanitárias em seis restaurantes do Combu
O órgão abriu procedimentos administrativos na última segunda-feira (4) para acompanhar a situação dos estabelecimentos na Ilha e garantir a regularidade

Doença de Chagas no Pará: cinco pessoas da mesma família são contaminadas após consumo de açaí
Os casos foram confirmados pela Sespa nesta terça-feira (28) e a possível origem do produto contaminado está sendo rastreada

Também foram interditados o setor de carnes e a padaria do Supermercado Econômico da avenida Mário Covas e a praça da alimentação do Supermercado Colina, na Cidade Nova 6. Além disso, o “Boteco Gelado”, que funcionava nas dependências do MIX Mateus do Coqueiro e o bar/drive thru de bebidas que funcionava no estacionamento do Supermercado Colina foram interditados por estarem sem licença e oferecendo bebidas aos motoristas.

A reportagem de O Liberal tenta contato com a gerência dos demais supermercados.

Economia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM ECONOMIA

MAIS LIDAS EM ECONOMIA