Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Rally dos Sertões celebra 30 anos de viagens pelo Brasil; Salinas está na edição 2022

Globo Repórter’ de hoje acompanha organização da prova durante o reconhecimento do trajeto e mostra de que forma a competição ajuda a movimentar a economia e o turismo local

Globo

Os 30 anos do Rally dos Sertões, a maior competição off-road do Brasil, são destaque no ‘Globo Repórter’ de hoje (26). Quatro repórteres: Alysson Murayama, Fabiano Villela, Fábio Castro e Paulo Gonçalves; acompanham os integrantes da organização da prova, que percorrem todo o trajeto um mês antes da largada oficial, e redescobrem um país de muitos rostos, sotaques e atuações.

Em 2022, serão percorridos 7.216 km, o roteiro mais longo de todos os tempos, durante 15 dias de competição. O trajeto passa por 14 cidades de oito estados brasileiros. Para Alysson Murayama, um dos pontos altos é o Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari, localizado em uma área de transição do Cerrado para o Pantanal. Ali, a diversidade da fauna e flora é de tirar o fôlego.

VEJA MAIS

Globo Repórter’: exalta a força da caatinga, que serve de cenário para a novela ‘Mar do Sertão'
Bioma que só existe no Brasil será destaque em nova novela. Programa desta sexta-feira, dia 19, desbrava locais pouco conhecidos da região, como o Parque Nacional do Catimbau, em Pernambuco

Globo Repórter: Com reportagem de Sandra Annenberg, programa valoriza a inteligência das mãos
Talento de ourives, artesãos, entre outros profissionais, se destaca como instrumento terapêutico e ferramenta de trabalho

O Rally dos Sertões tem a largada prevista para este domingo (28), de Foz do Iguaçu, no Paraná.

O programa mostra, ainda, de que forma as três décadas da realização da competição contribuíram para o desenvolvimento de algumas cidades. É o caso de Mateiros, no Tocantins, onde vivem cerca de 2.600 moradores. Dona Rosa Maria é uma das protagonistas desta história: criou os cinco filhos sozinha, trabalhando em uma cozinha improvisada no quintal de casa, onde pilotos e equipe se alimentavam. Hoje, a cozinha se transformou em um restaurante, que emprega seis pessoas.

“Nossa equipe viajou até o Jalapão, no Tocantins, um paraíso no coração do Brasil, quase isolado. Os moradores contam que, quando a competição teve início, não existia nenhum tipo de estrutura, nem posto de gasolina. Conhecemos figuras simpáticas como a Dona Rosa. Ela contou que Mateiros “tremeu” com a chegada de tantos carros e motos. Ela criou os filhos com um restaurante para atender os turistas que começavam a descobrir o Jalapão. Lá, também conhecemos um projeto na área de educação, que é desenvolvido numa escola desta cidade. Os alunos participaram de uma atividade para falar de natureza e do Rally dos Sertões através de redações e desenhos. No Quilombo Mumbuca, nossa equipe reencontrou alunos e professores, que aprenderam sobre os cuidados com a saúde dos dentes, quando a prova passou por aqui, pela primeira vez, no final dos anos 90”, relembrou Fábio Castro.

Há dez anos, o Rally dos Sertões ganhou a colaboração de duas mulheres: Adriana e Sabine. Elas criaram a “Saúde e Alegria nos Sertões – S.A.S.”, instituição que atende de forma gratuita a população com serviços médicos. O repórter Paulo Gonçalves conheceu o projeto de perto. “As carretas da S.A.S. são levadas para atendimento nas cidades por onde o Rally dos Sertões passa. Começou com oito pessoas e hoje tem mais de 200. Elas mostram que solidariedade e coragem podem fazer a diferença. Também entrevistamos o responsável pelo trajeto da prova, Du Sachs. Fiquei surpreso em saber que ele faz tudo à mão e desenha mais de 8.000 quadradinhos com a sinalização do percurso”, revela Paulo ao recordar da entrevista com o diretor técnico da prova.

Ao chegarem, no dia 10 de setembro, em Salinópolis, no Pará, os pilotos terão uma baita recompensa: as belas praias de areia fina e branca da região do Salgado Paraense. Quem esteve neste paraíso foi Fabiano Villela. “O ponto de chegada do Rally dos Sertões é um dos principais destinos turísticos do estado, principalmente dos moradores de Belém e do interior paraense. Nas férias de julho e até novembro, quando termina o período mais seco no Pará (o chamado verão amazônico), as praias de Salinas ficam lotadas. Salinópolis tem recantos mais tranquilos, lagoas e lindas regiões de dunas e manguezais, com toda a exuberância da fauna local, como as revoadas dos guarás. Tem cultura, praia, culinária, nessa linha de chegada do Rally dos Sertões”, finaliza o jornalista.

O ‘Globo Repórter’ desta sexta-feira, dia 26, vai ao ar logo depois de ‘Pantanal’.

Televisão
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM TELEVISÃO

MAIS LIDAS EM CULTURA